Tá na hora de jogar aberto com a torcida

banner_viniciustoledo

Foto: Fluminense F.C.

Alexis Rojas não fez um jogo sequer no time profissional (Foto: Fluminense FC)

Que onda o Alexis Rojas tirou aqui no Rio de Janeiro, hein! E tudo bancado pelo Fluminense… Que farra! O moleque tem culpa de ter vindo? Claro que não! Ele até chegou ao clube falando o seguinte:

“É um sonho realizado de vir ao Brasil. Ainda mais no Fluminense. A torcida pode esperar muita dedicação. Gosto do confronto individual e do drible”.

Na época, o ex-presidente Peter Siemsen falou que o Alexis Rojas tinha um perfil diferenciado:

“Ele tem um perfil diferente, um perfil de futuro. Tem que se trabalhar para amadurecer, como estamos fazendo com o Richarlison”.

O ídolo Romerito, uma espécie de padrinho da jovem promessa paraguaia também não poupou elogios ao Alexis Rojas:

“É um jogador rápido que joga pelas pontas do campo e faz gols, mas que precisa ser trabalhado. Está saindo da pré-temporada agora. Com autorização do diretor de futebol do Fluminense (Jorge Macedo), eu falei com o presidente do Luqueño. Ai depois as diretorias dos dois clubes conversaram”.

O ex-diretor de futebol, Jorge Macedo, deixou bem claro que o garoto estava sendo preparado para 2017:

“Já começou 2017 desde agora, estamos com um planejamento. Aqui no Brasil se fala muito de planejamento a longo prazo, a gente vem trazendo jogadores que vão agregar já para o ano que vem. Dos próprios reforços, tem o Alexis Rojas que a gente acredita muito, mas vai sofrer muito com adaptação, vai demorar um pouco para conseguir jogar. É um jogador que a gente prepara para o ano que vem, para estar em forma. Então o Fluminense já está pensando sim em 2017, mas nosso foco é agora, começar a pontuar no Campeonato Brasileiro”.

Bryan Oliveira foi outro que não vingou

Bryan Oliveira foi outro que não vingou (Foto: Fluminense FC)

Pois é, meus amigos… O moleque chegou ao Fluminense em julho, enfeitou o palco da Flu Fest, deu uns treinos, conheceu as belezas e os encantos do Rio de Janeiro… E está indo embora! Moleque de sorte ou incompetência do Fluminense? Já não sei de mais nada. Só estou com a sensação de que a torcida mais uma vez foi sacaneada. 

Exaltaram aos quatro cantos que o jovem era a grande revelação do campeonato paraguaio, que fazia chover e o apelido dele era “Robinho” pelo fato de ser extremamente habilidoso. Já não é a primeira vez que esse tipo de situação ocorre nas Laranjeiras. Bryan Oliveira, jovem meia uruguaio, foi outro que ficou encostado e nunca teve uma grande chance. E o garoto era habilidoso…

Espero que o presidente Pedro Abad e a sua turma não repitam os mesmos erros da gestão Peter Siemsen no quesito futebol. A base de sustentação política dele afirma que jamais teve poder de decisão no futebol do clube. Agora, a bola está totalmente com eles. Torço muito para que ela entre!

Uma dica para acalmar os ânimos da galera e jogar aberto com o torcedor: assumir as dificuldades de forma bem verdadeira e tentar chamar o torcedor para encarar o desafio de construir uma nova filosofia no futebol do Fluminense. Tá ruim para contratar medalhão? Beleza, vamos com a garotada comendo grama e a torcida cantando na arquibancada “Time de Guerreiros”. Acho que essa conversa cairia muito bem. 

Por hoje é só!

Saudações Tricolores!   

Vinicius Toledo / Explosão Tricolor  

Siga-nos no Twitter e curta nossa página no Facebook

INSCREVA-SE no nosso canal do YouTube e acompanhe os nossos programas!

SEJA PARCEIRO DO EXPLOSÃO TRICOLOR! – Entre em contato através do e-mail: explosao.tricolor@gmail.com