A barca está pronta para zarpar




Ao que tudo indica, o Fluminense encerrará o Campeonato Brasileiro sem a tão sonhada vaga para a Copa Libertadores da América de 2017. O desastroso desempenho da equipe nos últimos jogos me motivou a criar uma lista de dispensa para a próxima temporada.

O Fluminense possui um elenco extremamente inchado e com peças que pouco conseguem ajudar a equipe durante os jogos. Entre titulares e reservas, raros são os atletas capazes de desequilibrar a favor do clube das Laranjeiras. Isso explica em parte o jejum de oito jogos sem vitória no Campeonato Brasileiro. Confira abaixo os nomes da barca que eu montaria no final deste ano:

GUM (zagueiro) → Apesar de ser um jogador muito querido por sua dedicação ao Fluminense, o zagueiro Gum não consegue mais atuar em alto nível. Bicampeão brasileiro pelo Fluminense, o camisa 3 tricolor vem mantendo a sua titularidade graças ao seu passado nas Laranjeiras. A verdade é que há alguns anos ele não consegue ser um jogador regular. Infelizmente, não passa a confiança necessária para seguir atuando no Fluminense. Necessita respirar novos ares…

GIOVANNI (lateral-esquerdo) → O Giovanni é um dos remanescentes do desastroso pacote de reforços do Fluminense no início de 2015. A verdade é uma só: o lateral não é jogador para o Fluminense. Apesar de viver alguns momentos razoáveis em 2015, Giovanni já deu, em exaustão, inúmeras provas de que não tem a qualidade necessária para integrar o elenco tricolor.

WILLIAM MATHEUS (lateral-esquerdo) → Contratado para ser o lateral-esquerdo titular, William Matheus não demonstrou qualidades superiores às do Giovanni, por exemplo. Inclusive, são jogadores similares. No duelo diante da Ponte Preta, o jogador, inclusive, perdeu a sua titularidade para o Giovanni. Em resumo: o William Matheus foi mais uma contratação desastrosa.

JONATHAN (lateral-direito) → Fui contra o afastamento do lateral-direito Jonathan. O motivo é bem simples: o Jonathan é infinitamente superior ao Wellington Silva. Isso não significa, no entanto, que eu seja à favor da sua permanência para 2017. Jonathan é um jogador com péssimo custo benefício. Ele recebe um salário alto e não consegue atuar na maioria dos jogos, por conta de lesões. Apesar de ter suas qualidades, o jogador não é produtivo para o clube.

WELLINGTON SILVA (lateral-direito) → O Wellington Silva é uma das grandes decepções recentes do Fluminense. A diretoria tricolor enfrentou uma verdadeira batalha com o Flamengo para contratar o jogador. Infelizmente, quatro anos depois, Wellington Silva ainda não deslanchou no Fluminense. A sua temporada de 2016 é desastrosa. Inclusive, vem comprometendo o sistema defensivo da equipe. Acredito que o jogador em questão já recebeu inúmeras oportunidades e não mostrou ser capaz de defender as cores do Fluminense.

EDSON (volante) → O volante é outra decepção recente. O seu começo no Fluminense foi brilhante, mas há muito tempo não consegue atuar em nível pelo menos razoável. Diria que não tem feito por merecer nem mesmo uma vaga entre os reservas. Quando entra na equipe, não só não consegue ajudar, como acaba por prejudicar. Defensivamente tem tido desempenho desastroso. Pela minha lista, deixo claro que desejo uma grande renovação do elenco. Por esse motivo, acredito que o Edson não deva seguir.

DUDU (meia) → A presença do Dudu no Fluminense é fruto de uma bizarra negociação com o Coritiba. O Fluminense mandou o Felipe Amorim e recebeu em troca o Dudu. Difícil saber quem levou a pior nessa troca. Nos jogos em que atuou com a camisa tricolor, o meia demonstrou grandes limitações técnicas. Enfim, espero que seja devolvido ao Coxa.

MARANHÃO (meia-atacante) → O Maranhão representa o primeiro dos legados do técnico Levir Culpi. Infelizmente, a pedido do ex-treinador tricolor, a diretoria do Fluminense contratou o jogador junto à Chapecoense. O discurso de “jogador para compor elenco” nunca me convenceu. Acho que o Fluminense precisa de jogadores qualificados em seu banco de reservas. Nesse caso, não consigo enxergar no Maranhão um jogador capaz de ajudar regularmente o Tricolor, mesmo que apenas entrando no decorrer dos jogos. Não manteria o jogador em 2017.

DANILINHO (meia-atacante) → A contratação do Danilinho foi um erro anunciado. A pedido do Levir Culpi, o Fluminense contratou um jogador com problemas extra-campo e baixo desempenho recente em seus ex-clubes. Como era de se esperar, Danilinho ainda não disse a que veio. Hoje, o jogador está entre as piores opções ofensivas do elenco tricolor. Definitivamente não deve seguir no clube das Laranjeiras.

MAGNO ALVES (atacante) → O Magnata fez história com a camisa tricolor. Em seu retorno, conseguiu se tornar o décimo maior artilheiro da história do Fluminense. Um feito realmente histórico. Apesar de ser provavelmente o atacante reserva mais útil do elenco, Magno Alves está em reta final de carreira e vem perdendo rendimento. Aos 40 anos, o seu contrato com o Fluminense se encerra em dezembro deste ano. Portanto, para manter o jogador, o clube precisaria renovar o vínculo. Tendo uma visão profissional, deixando a visão do torcedor de lado, a renovação com o Magnata não me parece uma boa para o clube.

MARCOS JÚNIOR (atacante) → Sempre esperei muito do Marcos Júnior. Acompanhei o desenvolvimento do jogador na base do Fluminense. Ele indicava que poderia ser um craque. No entanto, até o momento, também não deslanchou. Apesar de esforçado, é um jogador bastante limitado. Acredito que o Fluminense necessite buscar um elenco enxuto e qualificado para 2017. Portanto, não vejo o Marcos Júnior com esse perfil.

OSVALDO (atacante) → Contratado com respaldo de grande parte da torcida, o “parceiro ideal do Fred” ainda não disse a que veio. Não só não funcionou como parceiro do ex-camisa 9 tricolor, como não conseguiu formar dupla de ataque com qualquer outro jogador de referência do elenco. Já são duas temporadas de baixo desempenho pelo clube. Não dá mais para apostar num jogador que recebe alto salário e não consegue mostrar resultados.

MARCÃO → No começo do texto, disse que incluiria apenas jogadores na barca. No entanto, essa barca precisa de um líder (risos). A verdade é que o Marcão também tem sido uma decepção. Ele tem a sua parcela de responsabilidade pela péssima temporada. Marcão fez parte da comissão técnica do Levir Culpi. Ele foi responsável por aplicar vários treinos táticos enquanto o Levir Culpi ainda era o técnico do Fluminense. Como técnico interino, foi bastante covarde. Não teve coragem para fazer as mudanças necessárias. Basicamente repetiu o trabalho que ele mesmo fez parte ao lado do Levir Culpi. Sinceramente, não vejo benefício em ter o Marcão como auxiliar fixo.

OBSERVAÇÕES → Como toda lista, com certeza a minha barca não agradará a todos. Por isso, quero explicar por que não inclui alguns nomes. Lendo alguns comentários nas redes sociais, percebi que muitos tricolores pedem a saída do zagueiro Henrique. No entanto, ainda acho que o Henrique pode conseguir encaixar na equipe. É preciso olhar que o jogador estava sem atuar na Itália. Tem potencial para subir de produção em 2017. Outro jogador bastante criticado é o volante Pierre. No entanto, enxergo no Pierre um jogador necessário para o elenco. Por ser bom marcador, o Pierre é uma peça útil para determinados jogos. Marquinho e Henrique Dourado também têm recebido duras críticas. Críticas justas, inclusive. No entanto, são jogadores que possuem certa qualidade e podem subir de produção. É diferente de um Maranhão da vida, que não tem potencial para evoluir. O Marquinho, por exemplo, vinha atuando num campeonato fraco tecnicamente. Então é normal que demore um pouco para se readaptar. O Henrique Dourado não fez pré-temporada. Foi colocado em campo para suprir a ausência do Fred. Porém, a verdade é que sua preparação foi ruim. Também pode ser útil na próxima temporada.

PREOCUPAÇÕES → Montei uma barca com 12 jogadores, no entanto, acredito que não seria suficiente para deixar o elenco enxuto. O motivo é simples. O Fluminense possui 30 jogadores emprestados para vários clubes de todo o mundo. Muitos destes retornam para a próxima temporada. Nomes como Wellington Paulista e Felipe Amorim ainda possuem vínculo com o Fluminense e dificilmente serão aproveitados em seus clubes atuais. Definitivamente o Fluminense tem um grande abacaxi para resolver em 2017.

Por Leandro Alves – Explosão Tricolor

Siga-nos no Twitter e curta nossa página no Facebook

INSCREVA-SE no nosso canal do YouTube e acompanhe os nossos programas!

SEJA PARCEIRO DO EXPLOSÃO TRICOLOR! – Entre em contato através do e-mail: explosao.tricolor@gmail.com

PUBLICIDADE