Final do Século XlX

Um jovem recém-chegado da Europa, após um período de estudos na Suíça, retorna ao Rio de Janeiro.

De quem estamos falando? Oscar Alfredo Cox. O iluminado jovem, trouxe na mala, uma bela paixão: O futebol.

Visionário e cheio de disposição, Cox trabalhou muito pela introdução do futebol no Rio de Janeiro, conseguindo adeptos, derrubando preconceitos e transpondo obstáculos.

O jovem organizou vários encontros com amigos e amistosos contra ingleses e paulistas.

O negócio começou a ficar bonito e veio a ideia de fundar um clube de futebol.

Qual o nome? Rio Football Club, entretanto, na hora de registrá-lo, o destino resolveu mudar a direção da história.

Um outro grupo já havia registrado o nome desejado por Cox. Decepção? Não. Destino? Sim. Definitivamente, Deus escreve certo por linhas tortas.

Uma reunião foi marcada no casarão número 51, da rua Marquês de Abrantes.

No dia 21 de julho de 1902, a história do futebol brasileiro começou a ser construída em grande estilo.

Do latim “flúmen”, que significa rio, surgiu o Fluminense. Da língua inglesa, veio o Football Club.

E assim surgiu o Fluminense Football Club, pioneiro do futebol brasileiro.

Doa a quem doer, a verdade é uma só: Tudo começou nas Laranjeiras.

E por falar nas Laranjeiras, o lugar é iluminado de verdade, pois até o Cristo Redentor está de braços abertos para o berço do futebol brasileiro.

O eterno poeta tricolor, nosso saudoso Nélson Rodrigues, já dizia: “O Fluminense nasceu com a vocação da eternidade. Tudo pode passar, só o Tricolor não passará jamais.”

Saudações Tricolores!