A primeira contratação deve ser uma auditoria!




Auditoria



Retornando após algumas semanas de descanso e feliz da vida por escrever a primeira coluna após a saída da Flusócio da vida do Fluminense. Os efeitos devastadores da passagem do grupo político da gestão anterior ainda serão sentidos por anos, mas visualizar um futuro sem Pedro Abad, Peter Siemsen e cia já é um alento pra qualquer torcedor.
E como Vinicius Toledo já escreveu logo após o anúncio da chapa vitoriosa, a questão financeira do clube é o assunto de primeira ordem pra atual diretoria solucionar. E aqui não há dúvidas de que a principal contratação de Mário Bittencourt neste período é uma auditoria independente capaz de levantar todos os gargalos financeiros existentes.
Não custa lembrar que a Ernst & Young, recentemente, realizou um trabalho de consultoria na gestão de Pedro Abad. O foco era aprimorar a governança do clube, indicando a melhor forma de geri-lo. Mas o que se viu foi total falta de transparência quanto aos métodos sugeridos, não sendo possível avaliar se foram adotados todos os expedientes orientados pela empresa. Resultado: fracasso total e o trabalho não passou de uma caderneta de anotações pra turma da Flusócio.
Mas consultoria não é auditoria. O objetivo desta última deve ser a indicação clara e eficaz da real situação financeira clube, apontando seus gargalos e indicando soluções. E neste quesito Mário e Celso têm a chance de passar uma borracha nos erros do passado e fazer história, já que nenhum planejamento é mais importante neste momento que a avaliação das finanças do clube. E pra fazer tal avaliação uma auditoria independente e transparente é exigência imediata.
Todos querem o retorno de Fred – confesso que não compartilho desse desejo; todos querem Thiago Neves, Thiago Silva e até mesmo Buffon; mas nada é mais importante neste momento que uma avaliação precisa da real situação do Fluminense, inclusive eliminando a contratação de pessoas físicas travestidas de jurídicas que sejam desnecessárias para o dia-a-dia do clube.
O torcedor tem direito de saber como anda o clube, até para que possa sugerir, cobrar e apontar caminhos para que retomemos os tempos de glória. A transparência aproxima a torcida e torna possível estádios cheios e arrecadação alta, já que cada tricolor se sentirá respeitado na relação com o seu time do coração.
Não há, repito, não há nada mais urgente que a contratação imediata de uma auditoria de ponta. Não se trata de caça às bruxas, mas de avaliar a viabilidade do clube, suas dívidas e o que se pode gastar. Óbvio que se alguém tiver responsabilidade que sejam tomadas todas as medidas necessárias, mas o objetivo primeiro do trabalho deve ser a identificação do cenário real das Laranjeiras.
Em qualquer negociação envolvendo as grandes empresas, os novos proprietários adotam a auditoria como marco inicial para os investimentos. O mesmo deve ocorrer com um clube do tamanho do Fluminense, já que não dá pra gastar dinheiro sem saber onde ele deve ser empregado.
Ao formar a chapa com Celso Barros, fica evidente que Mário visualizou outro ponto importante para as finanças que é a atração de investimentos. Mas um bom patrocínio master, uma melhor negociação com a TV e ter empresas colando a sua imagem à do clube são eventos que só ocorrerão se houver transparência nas receitas e nas despesas. Afinal, ninguém quer investir em um local bagunçado e sem informação suficiente do destino do dinheiro empregado.
Não podemos esquecer que o próprio Pedro Abad informou que foram identificados documentos que não passaram nem pelo jurídico e nem pela contabilidade, o que torna impossível verificar a regularidade das despesas. Isso já prova a urgência de uma auditoria eficaz com transparência dos seus resultados.
Esqueçamos a Flusócio! Nada de ficar vasculhando as contas do clube pra achar algo que possa implicar responsabilidade aos seus integrantes. Este não pode ser objetivo e, se ocorrer, que seja dado o caminho devido, inclusive comunicando às autoridades. O trabalho deve ser técnico, aberto, com verificação do torcedor e acompanhamento efetivo do Conselho Deliberativo e Fiscal. Só assim a credibilidade será retomada e, com ela, a volta da torcida, que é o maior patrimônio do Fluminense.
Ser Fluminense acima de tudo!

Evandro Ventura

PUBLICIDADE