A saudade e o Flusquinha




Flusquinha (Foto: Fluminense FC)

A nossa vitória contra o Santos pelo Brasileirão foi no domingo, eu sei disso. Deu para curtir bastante até terça-feira. Verdade também. Mas não sei você, torcedor tricolor, eu já estou com uma saudade de ver o Fluminense jogar. Não está sendo fácil esperar até a noite de sábado para poder assistir os nossos guerreiros em campo novamente. A verdade é que o calendário frenético do primeiro turno me deixou mal-acostumado. Não posso negar!

Para nos fazer comemorar, lamentar ou ficar nervosos — às vezes tudo isso num mesmo jogo —, o Fluminense estava sempre jogando e nós, torcedores, acompanhando o mais de perto que o cenário atual permite. Seja quem é do Rio, das Minas, do Pará e, até, o pessoal da Fluruguay, que em janeiro comemora 30 anos de existência, todo mundo se acostumou a ter dois compromissos certos na agenda: duas partidas do Tricolor por semana. Além disso, mais nada era tão importante.

Não vou mentir, estou com saudades até de passar raiva com Hudson, Caio Paulista, Felippe Cardoso e Muriel. Se eles se reunissem na casa do Julião para bater uma bola eu assistiria a live deles. Mas não foram eles que pararam o Atlético Mineiro do Sampaoli, na época líder? Pois é! Esse Fluminense… já desisti de tentar entender. Vou só curtir o G4 nesta reta final de turno.

Falando sobre a tabela, será que terminamos o campeonato nas cabeças? Nem sei! Sinceramente, não penso isso. De qualquer forma, a ideia de deixar o trio de frente brigando entre si enquanto ficamos na maior humildade por aqui me agrada. Ainda que o Tricolor deva sempre aspirar títulos, a gente sabe que uma vaguinha na Taça Libertadores já estaria muito bom para um elenco razoável  — perdão por discordar de você, torcedor empolgado — que está distante da nossa grandeza.

Bom, se conseguirmos uma vaga para a Libertadores no ano que vem, ao menos já temos o nosso companheiro de estrada: o “Flusquinha”, que deu as caras no CT Carlos Castilho nesta semana.

Curtinhas

– Contra o Fortaleza é aquela típica partida para vencermos de qualquer jeito. Meu palpite é 2×0, com dois do possante Felippe Cardoso porque estou acreditando em qualquer coisa depois do golaço do Caio Paulista.

– Aproveitando para falar do Homem-gol, no singular, ele tem feito partidas honestas. Mas quando o empréstimo acabar não precisa renovar não…

– Cadê o lateral-direito sul-americano, Mário? Cadê o atacante também?

– Queria ver o Calegari na posição dele, como volante. Já que a renovação com o Dodi está ruim de sair, temos que ficar de olho em possíveis reposições dentro do elenco também. Talvez Calegari possa ser uma opção.

Saudações tricolores, galera!

Carlos Vinícius Magalhães

PUBLICIDADE