Ah, Fla-Flu…




Yago Felipe (FOTO DE MAILSON SANTANA/FLUMINENSE FC)

Cada um tem o seu ritual de fé de torcedor. No meu caso, cantei mentalmente o “A bênção João de Deus” uns dez minutos antes de iniciar o Fla-Flu. Confesso que pensei até em colocar uma foto na rede social, mas fiquei receoso por conta da patrulha que acha que o Fluminense começou ontem. Digo isso, pois tem uma meia dúzia que acha que o canto de fé da arquibancada tricolor, que tem pouco mais de quarenta anos, dá azar. É mole?

Mas falando sobre o que interessa, o primeiro tempo do Fluminense foi terrível. Na verdade, a atuação foi covarde e certamente envergonhou grande parte da torcida. A derrota parcial de 1 a 0 ficou até barata.

Para a galera da antiga, só restou acreditar na mística, mentalizar o canto de João de Deus e até pedir uma intervenção do Gravatinha. Pois é, no futebol tudo é possível. Porém, Fla-Flu é algo pra lá de especial, inexplicável, espiritual, etc… É diferente mesmo.

E no segundo tempo, o Fluminense entrou com tudo no jogo. Gol de empate do Luccas Claro, quase um gol de placa do Michel Araújo e outras boas chances criadas. No gol, Marcos Felipe recebeu diversas orientações do “São Castilho“, que estava ao lado dele. Eu vi! Você não viu na transmissão?

O jogo ficou bonito de se ver. Lá e cá, um agredindo a defesa do outro. Uma espécie de trocação. No Fluminense, algumas limitações técnicas foram compensadas com o espírito guerreiro que parece ter invadido o coração e as travas das chuteiras de cada jogador tricolor.

Na reta final, a rapaziada parecia o velho e inesquecível Rock Balboa, ou seja, surrado, mas se preparando para dar o bote final. Ah, Fla-Flu, se eu não te conhecesse desde a época dos saudosos Assis e Washington, quando saí do Maracanã no ombro do Careca do Talco e com o meu pai do lado comemorando título em cima deles…

No apagar das luzes, Gravatinha deu uma zoada no Filipe Luís, que entregou bonito para o Yago Felipe decidir a parada e levar milhões de tricolores ao delírio! Grande vitória, grande mesmo. Porém, o que vai ficar mais marcado é que o Fluminense segue gigante. Existem sérios problemas, as gestões têm sido calamitosas, mas essa camisa é pesadíssima. E o outro lado sabe disso muito bem tanto é que está até no hino deles.

Alma lavada e orgulho de ser tricolor!

Curtinhas

– Marcos Felipe foi gigante.

– Calegari deve ter sangue argentino. Que moleque raçudo!

– Luccas Claro tem tudo para fazer uma bonita história no Fluminense.

– Yago Felipe está colhendo o que vem plantando. Um cara comprometido, profissional e guerreiro. Está no caminho certo.

– Com liberdade ofensiva, Michel Araújo mete uma bronca bonita!

– Fred de pivô é senhor diferencial. Se colar o John Kennedy ali com ele…

Forte abraço e ST!

Vinicius Toledo

PUBLICIDADE