Alguma surpresa?




Lucca (Foto: Lucas Merçon / Fluminense F.C.)



No dia 28 de outubro deste ano, publiquei um texto sobre a derrota do Fluminense para o Santos por 2 a 0, na Vila Belmiro. O desabafo pós-jogo daquela ocasião teve como o último parágrafo o seguinte:

Bola pra frente e vida que segue. Diante de todo o contexto do Fluminense na temporada, acredito que o time seguirá nessa gangorra até o final do Brasileirão. Na verdade, será assim com a maioria dos times, pois o campeonato está nivelado por baixo, ou seja, a regularidade é algo praticamente inexistente no futebol brasileiro. Até acredito em conquista de vaga para a Libertadores, mas o futebol tricolor precisa ser tratado de forma mais profissional“. Pois é, vinte dias depois, a única coisa que eu mudaria nele é a questão de acreditar que o Fluminense conquistará uma vaga na próxima edição da Libertadores, pois times como o América-MG e Ceará já igualaram na pontuação estão muito mais organizados que o Tricolor.

A derrota para o Juventude não me causou qualquer tipo de surpresa. Primeiramente, a escalação inicial foi trágica, porém, não dá para esquecer que ela não deixa de ser uma grave consequência da péssima montagem do elenco para esta temporada. Outro ponto que sempre merece ser lembrado é o efeito devastador do péssimo trabalho realizado pelo Roger Machado, que acabou expondo a incapacidade do Marcão de dar uma outra identidade ao time. Infelizmente, o “copia e cola” com pequenos ajustes das duas ocasiões anteriores não funcionou dessa vez.

O gol da vitória do Juventude sobre o Fluminense é a comprovação de como é importante ter, no mínimo, uma jogada básica ensaiada. A jogada foi até simples, mas acabou sendo o suficiente para derrubar um time pessimamente montado e treinado.

Ainda sobre o jogo realizado em Caxias do Sul, o Juventude mereceu a vitória. Mesmo com um time de qualidade técnica muito baixa, os gaúchos engoliram o Fluminense. Se não fosse o Marcos Felipe, acredito que teria sido, no mínimo, 3 a 0.

Sobre a reta final do Brasileirão, o Fluminense ainda terá cinco jogos pela frente. Agora, o Tricolor terá dois jogos seguidos no Maracanã contra concorrentes diretos na luta por vaga na Libertadores: América-MG e Internacional. Porém, fica a pergunta: dá para ter algum tipo de esperança?

Observações:

– Nino está péssimo. Resta saber se é um momento ruim ou se tem alguma negociação em andamento… Já passou da hora de sentar no banco.

– Laterais que não conseguem acertar um cruzamento sequer, meio de campo com três volantes, ataque com Caio Paulista e Lucca, Marcão à beira do campo, etc… Parabéns, Mário Bittencourt e Paulo Angioni!

– Siga-me no Twitter através do perfil @ViniFLU18 (clique aqui)

– Clique aqui e realize a sua inscrição no nosso canal do YouTube!

Forte abraço e ST

Vinicius Toledo



Veja as sequência de cada time que está em busca de uma vaga para a Libertadores 2021:

Corinthians – 50 pontos e 13 vitórias

Santos (C), Ceará (F), Athletico-PR (C), Grêmio (C) e Juventude (F)

Fortaleza – 49 pontos e 14 vitórias

Palmeiras (C), Santos (F), Juventude (C), Cuiabá (F) e Bahia (C)

Internacional – 47 pontos e 12 vitórias

Flamengo (C), Fluminense (F), Santos (C), Atlético-GO (C) e RB Bragantino (F)

Fluminense – 45 pontos e 12 vitórias

América-MG (C), Internacional (C), Atlético-MG (F), Bahia (F) e Chapecoense (C)

América-MG – 45 pontos e 11 vitórias

Fluminense (F), Chapecoense (C), RB Bragantino (F), Ceará (F) e São Paulo (C)

Ceará – 45 pontos e 10 vitórias

Atlético-GO (F), Corinthians (C), Flamengo (F), América-MG (C) e Palmeiras (F)

Santos – 42 pontos e 10 vitórias

Corinthians (F), Fortaleza (C), Internacional (F), Flamengo (F) e Cuiabá (C)

Cuiabá – 42 pontos e 9 vitórias

Bahia (F), Athletico-PR (F), Palmeiras (C), Fortaleza (C) e Santos (F)

PUBLICIDADE