Até quando a torcida do Fluminense continuará a ser tratada como gado?




Foto: Vinicius Toledo / Explosão Tricolor



Mais uma vitória do Fluminense no Brasileirão. E o que é melhor: jogando bola. A rapaziada do Fernando Diniz amassou o RB Bragantino durante boa parte do jogo. Belíssimas jogadas, trocas de passes envolventes, chances reais, etc… Fechar a primeira etapa com um empate sem gols foi um castigo.

Já no segundo tempo, o Fluminense voltou ainda mais invocado. Partiu com apetite de gigante e campeão. De tanto martelar, Arias abriu o placar. Logo depois, Cano, sempre ele, ampliou. O cântico “O Fluminense vai jogar, eu vou ficar louco da cabeça, nada me interessa” explodiu na arquibancada do Raulino de Oliveira!

Porém, nada para o Tricolor é fácil. Bastou um descuido da defesa para o RB Bragantino diminuir e finalmente entrar no jogo. O sufoco nos vinte minutos finais, com expulsão irresponsável do Marrony e tudo, sinalizou um pouco de descontrole emocional. A entrada do Felipe Melo, por exemplo, foi totalmente irresponsável. Ficou só no amarelo, mas era para ter sido expulso. Essa é a verdade.

Apesar da pressão, o Fluminense resistiu e segue firme no pelotão da frente. Vitória importante, porém, nem tudo foi maravilhoso no Raulino de Oliveira…

O que ocorreu após o apito final é inaceitável. Cenas lamentáveis, clima aterrorizante. Uma confusão grande entre a torcida e polícia militar tomou conta da arquibancada. Não sei dizer o motivo, porém, tiveram tiros de borracha que deixou todo mundo apavorado e o terrível spray de pimenta. Foi uma correria. Crianças chorando, idoso passando mal, etc…

Na hora que eu estava descendo a arquibancada, outra briga da polícia com a torcida. Um soldado fez o movimento de jogar o cacetete para trás e acabou batendo na minha cabeça. Como doeu… Fez um galo, mas é lógico que bateu uma preocupação grande, pois a cabeça é uma região delicada e eu tive um AVC no final de janeiro.

Até quando a torcida tricolor continuará a ser tratada como gado?

Curtinhas:

– Matheus Martins melhorou ainda mais o Fluminense na segunda etapa.

– Gostei da atuação da Ganso. Ajudou até no combate.

– O placar moral do jogo: 5×1.

– Estádio com capacidade para 18/20 mil pessoas, 14 mil ingressos comercializados (anunciaram na sexta que haviam esgotado) e menos de 10 mil pessoas presentes. Duas horas antes do jogo, muitos cambistas do lado de fora…  Qual explicação, presidente Mário Bittencourt?

– Siga-me no Twitter através do perfil @ViniFLU18

Forte abraço e ST

Vinicius Toledo



PUBLICIDADE