Brincando com o perigo




Foto: Vinicius Toledo / Explosão Tricolor

O Fluminense está brincando com o perigo

Definitivamente, o Fluminense resolveu brincar com o perigo no Campeonato Brasileiro. Conquistar apenas 23 de 57 pontos disputados é o reflexo exato da medíocre gestão que arruinou com o clube em todos os aspectos e, principalmente, destruiu o prazer do torcedor tricolor.

A atuação da equipe durante a primeira etapa do jogo com o América-MG foi pior que a música de entrada do Fantástico, que tradicionalmente simboliza o término do final de semana da família brasileira. Deprimente!

No segundo tempo, com um pouco de vontade, a rapaziada até correu atrás, mas a limitação técnica impediu que o Fluminense saísse de Minas com os três pontos. Por falar em limitação, como o Pedro sofre! Durante o jogo, o nosso artilheiro teve que recuar diversas vezes para buscar jogo e até tentar armar o time.

Sobre o Marcelo Oliveira, acho que ele acertou na escalação inicial, mas foi incoerente ao optar por Everaldo no lugar do Sornoza. Não sei se o Daniel Simões tem condições de melhorar o setor de criação, mas acho injusto o fato dele jamais ter o direito de uma sequência de oportunidades.

O mais assustador de tudo é o terrível histórico do Fluminense nos returnos das últimas três edições. Para piorar o cenário, fizemos uma pontuação baixíssima no turno.

O pacote do desespero fica completo com o pífio aproveitamento nos últimos quatro jogos: apenas 2 pontos conquistados contra Ceará, Bahia, Internacional e América-MG. Nas três próximas rodadas, teremos três pedreiras: Corinthians (casa), Cruzeiro (fora) e São Paulo (fora).

Como o nível técnico está muito baixo, acredito que a pontuação mínima para fugir da degola não ultrapasse a casa dos 43 pontos, se considerarmos que o nono colocado terminou o turno com apenas 23 pontos. De qualquer forma, o cenário é muito preocupante. E se juntarmos isso tudo com a real possibilidade de perder o Pedro até o final do mês…

Haja a benção João de Deus até o início de dezembro!

Curtinhas:

Jadson

O que ainda faz no time?

Richard

Não marca, não realiza transição, erra todos os passes… Até quando?

Matheus Alessandro

Tem bom drible, é veloz, cria algumas jogadas interessantes, consegue faltas nas proximidades da área adversária, mas precisa melhorar no passe final e, principalmente, na finalização.

Comissão Técnica

Tem a obrigação de melhorar a performance técnica dos jogadores. Em  2010, Muricy Ramalho tirou o couro do Diguinho nos treinamentos para melhorar a qualidade do passe. No final das contas, o jogador foi uma das peças mais importantes da campanha do tricampeonato brasileiro.

Forte abraço e Saudações Tricolores!

Vinicius Toledo 

Clique aqui para seguir o Explosão Tricolor no Instagram



PUBLICIDADE