Caminho sem volta




Foto: Mailson Santana / Fluminense F.C.



Não, não foi um jogo de futebol. O que aconteceu no Alfredo Jaconi foi um show de  bizarrices de todas as partes envolvidas. Sendo assim, vamos lá…

O gramado não oferecia condição alguma para a prática de uma partida de futebol. Não precisava ser nenhum especialista para chegar a essa conclusão. Mas o árbitro mesmo assim autorizou. Aí vale o primeiro questionamento: como é que a CBF permitiu isso?

E o Fluminense? Como é que o presidente Mário Bittencourt não botou a boca no trombone antes do jogo? Poderia até ter utilizado a Flu TV para expor essa situação de futebol de várzea, ou seja, meio que jogar pra galera mesmo. Aqui no Brasil tem que ser desse jeito para ver se alguém toma vergonha na cara. Notinha depois do jogo? Ah, pelo amor de Deus! Isso não cola, chega a ser um deboche com a cara da torcedor.

Resumindo, foi uma série de descasos envolvendo todas as partes. A integridade física dos jogadores em risco, o produto depreciado e um clube sem defesa institucional. Surreal!

Para completar o pacote de bizarrices, a transmissão do Premiere realizada pelo narrador Dandan foi uma lástima! Logo no início, ele criticou o Felipe Melo e Yago Felipe, que estavam indignados com as condições do gramado. Não satisfeito, o narrador ainda disse que não adiantava reclamar, pois a bola já estava rolando e o importante era que todos se divertissem. De forma educada, Pedrinho tratou logo de colocar o Dandan no seu devido lugar. Não satisfeito, o cara seguiu falando suas pérolas. Salvio Espinola chegou a falar em paralização do jogo no final da primeira etapa após a queda de um novo temporal, mas o Dandan seguiu “querendo jogo”. As reações da bancada durante o jogo deixaram bem claro que todos estavam constrangidos com o comportamento do narrador.

O que ocorreu em Caxias do Sul é o retrato fiel de um país que perdeu todos os seus valores. O mais triste disso tudo é que parte do povo acha tudo isso normal e até ironiza quem ainda teima em brigar pelo correto. É uma situação tão bizarra, que quem defende o justo neste país é tratado como vilão, ou seja, uma louca inversão de valores. Caminho sem volta…

Curtinhas:

– O Fluminense perdeu para o Juventude, mas me recuso a comentar sobre os noventa minutos no “Piscinão do Alfredo Jaconi”. Seria desonesto da minha parte falar em atuação do time.

– Siga-me no Twitter através do perfil @ViniFLU18

Forte abraço e ST

Vinicius Toledo



PUBLICIDADE