Chega de panela, Diniz!




Foto: Fluminense / Divulgação



Antes de falar sobre o técnico e o time, não há como deixar de comentar sobre mais um grave erro de arbitragem. O Fluminense voltou a ser prejudicado pelo apito. E não é choradeira. Teve pênalti claríssimo na Vila Belmiro, no entanto, passou batido. Nem o VAR foi acionado. Definitivamente, o clube segue sem moral alguma e qualquer representatividade nos bastidores do futebol brasileiro.

Com relação ao jogo, não achei que o Fluminense tenha atuado de forma totalmente desastrosa. As oportunidades foram criadas, mas a falta de poder de decisão, em especial, do Luciano, acaba minando qualquer chance de vitória. Como futebol é bola na rede, o Santos teve competência para aproveitar as falhas tricolores e, consequentemente, construir sua vitória. A falha do Nino é até discutível, mas a do Bruno Silva é imperdoável.

E por falar no Bruno Silva, não é de hoje que boa parte da torcida pede a barração dele. Desde que chegou, o volante não apresentou nada que justifique o seu lugar cativo no time. É algo que não para entender, mas não dá mesmo.

A situação tricolor é bastante delicada, mas não chega a surpreender. Antes da estreia, cheguei a comentar aqui sobre as grandes dificuldades que o Fluminense teria pela frente até a paralisação para a disputa da Copa América. Falta elenco, mas o Fernando Diniz precisa se desapegar da visível panela. De cara, Bruno Silva e Luciano merecem ser barrados. Os treinos são fechados para a imprensa, no entanto, não é possível que o Zé Ricardo, Marcos Paulo e João Pedro, por exemplo, não tenham condições de serem utilizados. 

Além das barrações, a utilização do Pedro deve ser repensada. Se no momento ele aguenta jogar somente um tempo, não seria interessante escalá-lo de início para tentar abrir o marcador ao invés de só colocá-lo no fogo?

Fernando Diniz não é milagreiro, mas pode fazer melhor ou será que ele seguirá dando tiro no próprio pé?

Chega de panela, Diniz!

Rapidinhas

Mudanças

Mascarenhas na lateral-esquerda, Caio Henrique como segundo volante, Ganso e Pedro. Essas mudanças é o que podem fazer o Fluminense melhorar em muitos aspectos.

Salvou

Se não fosse o Rodolfo, o Fluminense teria levado uma goleada.

Preocupante

Nas últimas edições, o Fluminense acumulou gordura no primeiro turno. E essa gordura acabou salvando do rebaixamento…

Saudações Tricolores!

Vinicius Toledo



PUBLICIDADE