Com a marca de Robert




3 jogos. 3 vitórias. 8 gols a favor. 3 contra.

Estes são os números do nosso Tricolor no inicio deste campeonato carioca.

Interessante estatística que, se por um lado nos deixa animados, por outro não pode nos cegar sobre as possibilidades deste time para o restante da temporada.

Sabemos da fragilidade dos times pequenos que disputam este “Rubão Miranda 2015”, e precisamos avaliar o nosso desempenho considerando esta variável.

Em primeiro lugar, precisamos reconhecer que o time não foi bem no jogo de hoje.

Algumas pecas que funcionaram nos jogos anteriores não renderam, especialmente o Vinicius, que não conseguiu ditar o ritmo do meio de campo Tricolor.

Nossa defesa segue mal posicionada, principalmente em nosso lado direito, o que permitiu diversos ataques perigosos do Bangu. Este ponto precisará de melhora quando enfrentarmos equipes mais qualificadas.

Este buraco se deve muito em função do estilo de jogo do Wellington Silva, que não sabe marcar, nem recompor. Por outro lado, nosso lateral foi peça fundamental no ataque, principalmente no primeiro tempo, quando teve a companhia do Lucas Gomes.

Giovanni foi mais uma vez discreto na lateral esquerda, exceção feita a um excelente cruzamento para o Fred no segundo tempo.

No meio de campo, Edson não foi tão bem quanto nas duas primeiras partidas, e Jean compensou sua apagada jornada com dois passes primorosos, primeiro para Marlone, e depois para o gol do Robert.

No ataque, gostei da movimentação do Marlone, apesar da sua nítida falta de cacoete nas finalizações, e fico muito feliz com a intensa participação do Fred nos jogos. Nosso artilheiro fez um golaço, de quem conhece tudo de grande área. E esbarrou outras 3 vezes no excelente do goleiro do Bangu.

Mas fato é que, se em outros anos o Fred sempre começava em câmera lenta, neste ano nosso capitão demonstra muita disposição, vontade, e compreensão de seu papel de liderança em campo. Sua atitude no gol do Robert, de colocar de volta a camisa da nossa jovem promessa, demonstra a sua importância para esta equipe.

E, por fim, vou falar do Robert. Dá pra ver que o garoto sabe jogar bola. Era o seu primeiro jogo como profissional no Maracanã, e pra ter a calma e categoria que mostrou no segundo gol, o garoto precisa ter um algo mais. Qualquer medíocre, naquela situação, fecharia os olhos e soltaria a bomba. Mas ele, aos quase 40 do segundo tempo, deu um toque de classe por cima do excelente goleiro banguense.

Mas, como nem tudo são flores, me preocupa um pouco a forma como entrou no jogo. Me parece que o Fluminense precisa tomar muito cuidado, para que ele não deixe o sucesso subir a sua cabeça, desenvolvendo, assim, todo o seu potencial no profissional. Mas vale a pena apostar, porque o garoto é diferente.

Enfim, assim como não podíamos soltar fogos após a boa vitoria sobre o Nova Iguaçu, não podemos nos preocupar também com a queda de rendimento nesta partida. Isto é normal em um time tão modificado, e em início de temporada.

O saldo por enquanto é mais que positivo.

VESTIÁRIO

– Geralmente temos muitas razões para reclamar da arbitragem. Mas dessa vez escapamos de uma boa. O gol do Bangu foi mal anulado.

– Cristóvão foi mal mais uma vez. A saída do Lucas Gomes piorou bastante o time na volta do intervalo. Eu teria tirado o Vinicius.

– Também achei muito arriscada duas substituições no intervalo, com uma vitoria parcial de 1×0.

– Está na hora do Fluminense treinar mais cobranças de faltas. Nossos cobradores estão deprimentes.

– Mais um jogo em dia de semana, às 17 horas. Esse Rubão Miranda é uma piada.

– Cabeça no lugar Robert!!!

Abs,

Alan Petersen

PUBLICIDADE