Difícil lutar contra a própria mediocridade




Foto: Lucas Merçon / Fluminense FC



Difícil lutar contra a própria mediocridade

Todo mundo que assistiu à partida do Fluminense desse final de semana deve ter ficado com a mesma sensação: se a gente tivesse um time um pouco melhor…

Pois é…

O Cruzeiro passou longe de estar em uma noite inspirada e render o que pode com os seus excelentes jogadores de meio de campo. Deu pra notar.

O Fluminense brigou como pôde e até teve a posse da bola em grande parte do jogo. Mas, e daí?

Era um tal de rodar a bola de um lado pro outro sem o menor perigo… No primeiro tempo tivemos pouquíssimas chances, se eu não me engano apenas uma finalização.

Passes que quebram as linhas? Não teve.

Infiltrações pelas pontas? Pouquíssimas, e sempre insistindo no drible pra trás ao invés de centrar a bola na área.

Finalizações de fora da área? Xi…

Dá pra perceber um ponto em comum em todas essas nossas deficiências: a falta de um jogador de meio campo capaz de aprofundar pelas pontas e afunilar o nosso jogo, de acordo com a necessidade do momento. Capaz de ditar ritmo e impor pressão no adversário.

Infelizmente o Sornoza não é esse cara.

Não adianta insistirmos, já deu pra perceber, desde o ano passado, que o nosso camisa 10 só faz uma atuação fora de série uma vez ou outra. Na maioria das partidas trata a bola com uma burocracia danada.

Ainda assim, é a nossa melhor opção para a posição. Triste constatação para um time que recentemente teve TN10 e Conca na sua escalação.

Acredito que o Daniel mereça mais chances na posição.

Vejam bem, não estou dizendo que o Sornoza é um mau jogador, nem que não tenha qualidade técnica. Isso ele já demonstrou que tem. Mas é evidente que ele precisa de um jogador motorzinho ao lado dele.

Seus melhores momentos no Fluminense foram quando o Wendel estava voando na temporada passada e quando o Jadson jogou bola de verdade no primeiro semestre.

Coincidência? Não existe isso no aspecto técnico do futebol.

Por falar em Jadson… tá merecendo um banco faz tempo. Nas últimas partidas o Dodi tem jogado mais que ele, veja só você…

Como falei na coluna anterior, sou defensor do 3-5-2 do Abel. O time tinha mais agressividade e proximidade na área adversária.

Os alas do Fluminense, apesar de estabanados, sabem aprofundar o jogo, já mostraram isso, o que acaba até ajudando o Sornoza a crescer de produção.

Acredito que este seja o caminho, caso o Fluminense tenha a pretensão de algo além da mediocridade apresentada nessa temporada.

No mais, VENCE O FLUMINENSE!!!

Pitacos do Toni:

– Tomara que a contusão do Pedro não seja grave e ele se recupere no tempo divulgado. Tomara que ela afaste os times de fora também, e eles só voltem no final do ano.

– Esse jogo contra o líder do campeonato vai ser osso. Eu iria de 3-5-2 pra cima deles. Se deixar os caras jogarem será fatal.

– Jadson merece esse banco, mas o problema é quem escalar no lugar dele… Airton não ajudaria tanto na criação, Dodi mostrou evolução, mas a torcida ainda desconfia muito dele, Matheus Norton não acrescenta muita coisa quando entra em campo, portanto…

– E esse Kaike? Não deu pra ver nada do futebol dele no jogo. No entanto, não por culpa só dele, o time não ajudou, mas é difícil que seja pior que João Carlos.

Toni Moraes



Clique aqui para realizar sua inscrição no canal do Explosão Tricolor no YouTube!

Clique aqui para seguir o Explosão Tricolor no Instagram

VEJA AINDA:

Saiba quais serão os jogos que o Pedro desfalcará o Fluminense

PUBLICIDADE