Dignidade até o final do ano, Gerson. Pode ser?




Gerson definiu seu futuro (Foto: Divulgação)
Gerson definiu seu futuro (Foto: Divulgação)

Vende ou não vende o Gerson? Pois é, o Fluminense acabou optando por vendê-lo.

Negócio bom ou ruim? Precipitado ou oportuno? Várias são as perguntas sobre a situação do Gerson. Alguns acham que o Fluminense poderia segurá-lo por mais um tempo com o objetivo de arrecadar mais lá na frente. Outros acham que a venda ocorreu em boa hora, pois o Gerson não vinha jogando rigorosamente nada.

Como não sou de fugir da dividida, mandarei a real sobre a polêmica…

Primeiro de tudo, acho o Gerson diferenciado e com alta capacidade técnica. Vejo isso na forma com que ele toca, bate e domina a redonda.  

Segundo, o Gerson fez algumas partidas boas. Oscilações na sua idade são normais, entretanto, notava-se a falta do “sangue nos olhos” e do tal do “quero vencer essa porra”. Além disso, achei que ele vinha sendo escalado fora da sua posição. Ele é jogador de centro de campo, distribuindo e organizando o jogo, mas vinha atuando pelo lado.

Terceiro, o pai dele é uma tremenda mala sem alça. O coroa tá no direito de correr atrás do que é melhor para o filho, mas exagerou na dose e fez a festa da mídia que adora jogar contra o Fluminense. 

Quarto, a diretoria do Fluminense foi tão amadora quanto o pai do Gerson. Deixar o Sr. Marcão negociar com gigantes europeus foi o fim da picada. Não foi à toa que deu confusão. Tremenda irresponsabilidade! E olha que o Fluminense era dono de 70% dos direitos econômicos do Gerson. Isso pega mal no meio do futebol, afeta nossa credibilidade no mercado e nos expõe negativamente para o mundo.

Quinto, diante de todo este terrível cenário, não tenho dúvida de que a venda foi uma decisão mais do que acertada. Com todo este histórico, eu não arriscaria dar a “famosa segurada”, pois correríamos o sério risco de não conseguirmos vendê-lo nem para a Penapolense.

Por último, a diretoria do Fluminense aceitou a permanência do Gerson até o final do ano. Bom ou ruim? Por mim, não ficaria. Mas já que ficará, espero que ele tenha a dignidade de honrar a camisa do Fluminense até o último jogo da temporada. É o mínimo que esperamos. Agora que amarrou o boi na sombra, não há mais desculpa esfarrapada de que está “sem cabeça” ou “fortemente pressionado”.

Com dinheiro no caixa, espero que o Fluminense cuide com carinho do Marlon, Gustavo Scarpa e Marcos Junior. Hoje, não consigo ver o time do Fluminense sem a presença desse trio, que diga-se de passagem, tem dado a alma e o sangue em campo pelo Tricolor. 

EXPLOSIVAS DO GUERREIRO:

1 – Essa pubalgia do Fred tá começando a me preocupar seriamente. Região bem complicada…

2 – Com R$ 60 milhões das vendas do Kenedy e Gerson, a diretoria tem a obrigação de apresentar um lateral-esquerdo. Nem que seja o titular da seleção boliviana! Precisamos muito!

3 – O Marketing do Fluminense mudou novamente. E fica a nossa esperança de que teremos novidades no “produto Fluminense”. Assim espero…

4 – Primeiro jogo da Copa do Brasil contra o Paysandu no Maracanã, numa quinta-feira, às 19 horas. Os caras devem pensar que ninguém trabalha… 20h30 seria mais justo.

Saudações Tricolores

Vinicius Toledo / Explosão Tricolor

PUBLICIDADE