Discussão entre Ganso e John Kennedy, Caio Paulista e muito mais; veja a coletiva do técnico Fernando Diniz




Fernando Diniz (Foto: Mailson Santana / Fluminense F.C.)



Coletiva pós-jogo

Confira as respostas do Fernando Diniz no entrevista coletiva após o empate sem gols entre Fluminense e América-MG:

Um jogador a mais

– Quando joga com um a menos não necessariamente fica mais fácil pra fazer o gol. A linha mais baixa do América marca com nove. Primeira vez que a gente enfrenta linha muito baixa, difícil para criar mesmo. Tinha que circular mais rápido, ter profundidade, interesse em finalizar mais rápido a jogada. Tentamos corrigir no segundo tempo. Não pode tomar contra-ataques que a gente tomou. Tiveram 3 chances claras. Com treino vai melhorar. Foi a primeira vez que a gente pega esse cenário.

Linha baixa do América-MG

– A coisa mais fácil é marcar em linha baixa, a mais difícil atacar em linha baixa. A gente teve mudanças, então o jogo coletivo é importante, é muito detalhe que precisa estar afinado para quebrar essa linha. Não é mesma coisa que aconteceu na Argentina. Hoje foi diferente, o América-MG teve que se retrair e ficaram muitos jogadores atrás e a gente teve que furar. Mas os outros cenários não foram parecidos. Mas se o time fica muito atrás, fica difícil. É questão de treino, de ajustes, para que os jogadores tenham mais confiança para tentar as jogadas.

Falta de um jogador líder

– Não. O que falta é um pouco mais de treino. De repente um cara como o Luiz Henrique do outro lado do campo. Isso que fez a diferença. O que mais precisa é treinar situações como essa. É uma situação que a gente não treinou. Esse tipo de marcação que a gente sofreu, não era o que o América-MG ia fazer se o jogo tivesse 10 contra 10. Não é a característica deles, a gente estudou. Com um tempo, a gente vai treinar esse cenário. Espero ter mais facilidade para quando enfrentar uma marcação como hoje.

(CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE)



Nonato

– Entrou bem. Um dos jogadores que tentei levar para 3 clubes que trabalhei. Está sempre na minha cabeça para jogar, como outros, o Martinelli. Foi muito bom entrar no jogo porque dá confiança.

Caio Paulista

– O jogo não favoreceu muito o Caio. Jogaram com a linha baixa, e ele tem mais facilidade de jogar do outro lado. Mas acho que cumpriu bem a função e fez um boa partida também.

Discussão entre John Kennedy e Ganso

– Super tranquilo. Falei com o Ganso, foi uma cobrança de jogo e não teve nada demais. Cobrei para se concentrarem no jogo e não ter confusão, mas foi um lance de jogo, não teve repercussão alguma.

Clique aqui e veja a lista com as últimas notícias do Fluzão!



Por Explosão Tricolor

E-mail para contato: explosao.tricolor@gmail.com

PUBLICIDADE