Em rede social, Celso Barros chama Paulo Henrique Ganso de “sonso” e diz que “gosta de derrubar” técnicos e dirigentes




Foto: Mailson Santana / Fluminense F.C.



Afastado do Fluminense desde o fim de 2019, Celso Barros voltou a aparecer nas redes sociais neste domingo e direcionou suas críticas a Ganso. O vice-presidente geral do clube, que já comandou o futebol antes do afastamento e conviveu com o camisa 10 tricolor na época, atacou o meia após ele reclamar de ter sido substituído na derrota por 1 a 0 para o Grêmio no último sábado, no Maracanã.

– E mais uma vez, o meia Ganso reclamou ao ser substituído. Quem deveria reclamar é a torcida do Fluminense, porque o atleta em dois anos e meio de contrato não jogou nada. Além disso Ganso é um sonso. Gosta de derrubar técnicos e até dirigentes. Quando estive no futebol do Flu, ele procurou me indispor com o grupo, porque não se conformava com a saída do técnico Fernando Diniz – escreveu.

Substituído aos 24 minutos do segundo tempo por John Kennedy, Ganso deixou o campo irritado. Segundo relato do repórter Klaus Barbosa, da TV Globo, o camisa 10 reclamou em voz alta: “Toda vez que tem substituição sou eu que saio. Sempre eu, sempre eu”. Em entrevista coletiva após a partida, o técnico Roger Machado minimizou o episódio e viu a a insatisfação como normal:

– Acho que a gente precisa deixar de polemizar essas questões quando os atletas saem de campo substituídos. Antes eram três jogadores que saiam sem gostar, agora são cinco. Aumentou o número. O atleta não gosta de sair, isso é fato. Ainda mais quando ele acredita que está se sentindo bem em campo. E 90% dos atletas se sentem bem em campo até o momento que o treinador decide pela saída. Não vi nada demais na saída do Paulo (Ganso). O Atleta tem todo direito de não se sentir confortável com a saída. Não vamos colocar algo onde não existe.

Titular com Fernando Diniz, Ganso já chegou a discutir publicamente com Oswaldo de Oliveira, quando o treinador dirigiu o Fluminense no segundo semestre de 2019. Mas, desde então, o meia não viveu mais nenhuma com os outros técnicos que vieram depois (Marcão, Odair Hellmann e Roger Machado), mesmo sendo reserva com todos eles.

Além do ataque a Ganso, Celso Barros também voltou a criticar o presidente Mário Bittencourt. O ex-presidente da Unimed Rio, antiga patrocinadora do Fluminense na conquista dos títulos brasileiros de 2010 e 2012, virou desafeto de Mário nos bastidores desde seu afastamento das funções do clube.

Veja o post na íntegra:

Clique aqui e veja a lista com as últimas notícias do Fluzão!



Por Explosão Tricolor / Fonte: ge

E-mail para contato: explosao.tricolor@gmail.com

PUBLICIDADE