Em texto, jornalista fala sobre como o Fluminense perdeu a chance de ter o melhor time da América do Sul






Através de um texto publicado no site da ESPN Brasil, o jornalista Paulo Cobos falou sobre todos os jogadores que passaram pela divisão de base do Fluminense ou que o clube contratou ainda bem jovens. Inclusive, o jornalista chegou a montar uma escalação, que, segundo a visão dele, seria não apenas o melhor time do Brasil, mas também, o melhor da América do Sul. Confira a íntegra do texto:

O ataque seria Marinho, Richarlison e Pedro: como Fluminense perdeu a chance de ter melhor time do Brasil

“Sim. Esse exercício poderia ser feito com outros grandes clubes brasileiros. Mas em nenhum deles acredito o resultado seria tão cruel atualmente.  O Fluminense jogou no lixo a chance de ter hoje o melhor time do futebol nacional (e também da América do Sul).

Imagine um time com a seguinte escalação: Thiago Volpi; Fabinho, Dedé, Thiago Silva e Marcelo; Wendel, Gerson e Gustavo Scarpa; Marinho, Richarlison e Pedro. Muitos estão no auge de suas carreiras, como Fabinho, Marinho, Richarlison e Pedro. Outros estão na lista de melhores de suas posições no século (Thiago Silva e Marcelo).

Todos eles são crias das categorias de base do Fluminense ou estiveram no clube ainda muito jovens. O que torna cruel para o torcedor tricolor essa seleção imaginária é que muitos desses jogadores estão em evidência hoje. E o desperdício de talento não significa que o clube recebeu em troca uma fortuna que o salvasse da penúria dos últimos tempos.

O Fluminense nunca vendeu um jogador por mais de 20 milhões de euros, o que o Flamengo se cansou de fazer nos últimos anos. Sei que eram um pouco mais jovens, mas ninguém vai me convencer que Vinícius Jr. e Reinier valiam mais do que Pedro, que foi para a Fiorentina por 11 milhões de euros.

Em 2012, o clube se desfez de Fabinho por R$ 1 milhão. E hoje o agora volante custou 50 milhões de euros para o Liverpool.

A super seleção que o Fluminense poderia ter hoje também se perdeu por quem passou pela base, mas não ficaram, como nos casos de Volpi, Dedé e Marinho.

Que o Fluminense continue tendo orgulho das suas joias de Xerém. Mas que elas também possam fazer o clube novamente ter um time profissional de ponta”.



Por Explosão Tricolor / Fonte: ESPN Brasil

E-mail para contato: explosao.tricolor@gmail.com 

PUBLICIDADE