A emoção e a histórica bola fora do presidente




A torcida do Fluminense receberá o Ronaldinho Gaúcho (Foto: Vinicius Toledo / Explosão Tricolor)
Fluminense: a arquibancada unida poderá fazer a diferença (Foto: Vinicius Toledo / Explosão Tricolor)
Fluminense: a emoção sempre existirá nos verdadeiros tricolores (Foto: Vinicius Toledo / Explosão Tricolor)

Um tricolor de verdade, valoriza a história do Fluminense e faz questão de participar dela.

O projeto dos bustos do Assis e Washington foi uma tremenda bola dentro do pessoal da Flu Memória.

Tanto é verdade, que a arrecadação foi um sucesso, apesar de achar que dava para ter arrecadado muito mais. 

Quando fiz a minha humilde colaboração, o sentimento que bateu dentro de mim foi o de satisfação e alivio.

Satisfação por ter tido a oportunidade de participar de um momento histórico do Fluminense.

Alívio pelo fato de ter garantido minha presença num evento histórico que marcaria minha vida e as de outras centenas de tricolores. 

Quem é tricolor de corpo e alma, sabe muito bem do que estou falando.

Emoção é um sentimento que você não encontra em qualquer esquina e dinheiro nenhum do mundo consegue comprar.

Ela vem que nem um vulcão em erupção! E o Fluminense é mestre em proporcionar fortes emoções…

Felizmente, eu e outros muitos guerreiros marcamos presença nas Laranjeiras em mais um momento histórico do Fluminense.

Quando tiraram a bandeira de cima dos bustos da maior dupla do futebol mundial, a emoção explodiu pra valer!

Aqueles dois bustos não representam somente o Assis e o Washington…

Eles também representam histórias de arquibancada de milhares de famílias que vibraram bastante com estes dois monstros sagrados da história do Fluminense.

Foi uma noite inesquecível e marcante. E que merecia a presença física do presidente, mas ele estava no Qatar num evento da FIFA.

Não sei se houve alguma falha de comunicação na organização, mas poderiam ter agendado o evento do Casal 20 para uma data em que o Peter Siemsen pudesse estar presente e junto do maior patrimônio do clube: a torcida tricolor.  

Presidente, na próxima vez, dê um jeito, mas participe da festa com a massa. A distância entre o comando tricolor e sua torcida está pegando muito mal. Assim como pegou bastante mal, o Mário Bittencourt circular dentro do clube com três seguranças. Há motivo para temer algo dentro do nosso Fluminense? Não gostei nada dessa imagem totalmente negativa. Como torcedor, sócio e colaborador do evento, me senti constrangido e ofendido. 

Ainda bem que fui apresentado ao Sr. Pedro Antonio, vice-presidente de Projetos Especiais do Fluminense (não remunerado) e que dedica o seu tempo livre ao clube. Para quem não sabia, somente no ano passado, ele fechou o contrato de patrocínio com a Viton 44, elaborou o projeto do CT na Barra da Tijuca, foi responsável pela inclusão do clube no Refis (Programa de Recuperação Fiscal), cedeu máquinas e equipamentos para Xerém e Laranjeiras e até deu carona em um dos seus dois jatos para o presidente Peter Siemsen. Conversei com ele durante dez minutos de forma bastante saudável e construtiva. Pessoas como ele, me dão a esperança de que dias melhores virão.

Para terminar, espero que não esteja faltando a tal da emoção no nosso comando, pois quando ela não existe mais…

Saudações Tricolores!

Vinicius Toledo

Siga-nos no Twitter e curta nossa página no Facebook

PUBLICIDADE