Erro de foco, torcida tricolor!




Foto: Vinicius Toledo / Explosão Tricolor

Buenas, tricolada! Vamos aos fatos sobre o que vem ocorrendo com o enorme Fluminense Football Club há uns 5 anos – na ponta do lápis, desde 2011!
Em primeira instância, o elenco atual do Flu é limitado mesmo. Ponto! Retroagimos à época do B.B.B. – Bom, Bonito e Barato, de parte dos anos 80 e 90, mas apenas “valorizando” um dos “bês”: o BARATO!
Em segundo lugar, não enxergo corpo-mole dos nossos atletas em campo. Os caras vão treinar TODOS OS DIAS, correm no decorrer dos jogos, dedicam-se demais, mas as pernas não ajudam diante dessa tal fragilidade técnica de que falei aqui acima, e especialmente diante das mazelas financeiras que essa diretoria de merda impôs ao grupo, e aos próprios funcionários e fornecedores!
Em terceiro, se o “onze” titular fosse tão inepto quanto pregamos, não assistiríamos a exibições de gala como as que vimos diante do Nacional, do Uruguai, na fase anterior da Copa Sul-Americana, e a algumas outras no decorrer da temporada! Mantenho a minha opinião: essa equipe é mal treinada – e descapitalizada economicamente!
Em quarto, mesmo o mais incompetente funcionário de uma instituição TEM QUE RECEBER OS SEUS PROVENTOS EM DIA! Quem os contratou? Oras, se há compromissos assinados, eles devem ser cumpridos! No final de cada ano – ou no tempo em que o “patrão” decidir, que “demitam-se” estes tais incapazes, simples assim!
Em quinto, não acho o nosso time sem-vergonha, como apregoou a nossa galera aos berros, no final da partida contra o Ceará, nesta última segunda-feira! Sem-vergonha é a gestão, que suga o FFC desde que assumiu o trono, com um discursinho MENTIROSO de saneamento das combalidas finanças e de probidade administrativa! Permaneço incólume na minha toada: há somente uns 6 elencos melhores do que o nosso na Série A do torneio mais importante das Américas, prova cabal de que o futebol brasileiro faliu, acabou, implodiu-se, enfim…
Em sexto lugar, não podemos nos revoltar com os jogadores, tão somente, não devemos nos reunir depois dos jogos no portão de acesso do Maraca, aguardando as saídas, para massacrá-los ainda mais, cobrar algo que TEM QUE SER COBRADO do incompetente, preguiçoso, amador, loroteiro e fraudulento Pedro Abad – e sua chapa política de embusteiros!
Em sétimo, há uma intrínseca necessidade de pressionarmos a diretoria (sem violência, para não perdermos a razão) e sem depredarmos o nosso próprio patrimônio. Mas pressionar mesmo, de fato e com direitos adquiridos pela paixão e pelos péssimos resultados no campo, infernizar a vida desses malandros, não dar um único segundo de paz, até que eles decidam-se pelo abandono do barco, vazem pelo bem-vindo impeachment,  ou que os retiremos dos gabinetes democraticamente, por intermédio do voto! Para tanto, devemos nos associar o mais rápido possível ao clube e fazer barulho durante o próximo pleito, no final do próximo ano, mostrá-los o quanto são indesejados. Porra, são oito longas primaveras de bagunça e dor, excetuando-se o período de co-gestão com a UNIMED, isto é, até 2014/15!
Por último, mesmo não merecendo (não o Flu – a verdadeira vítima, mas os gestores), ainda poderemos beliscar a Sula 2018, o que acho difícil e improvável, mas futebol é uma caixinha de surpresas, como revela o surrado e recorrente jargão do poeta! Portanto, temos que apoiar esses atletas no dia 28 próximo, lotar o Mário Filho, e apostar no “quase impossível”! Afinal de contas, o Flu sempre desafia a matemática, os doutores e entendedores do velho e violento esporte de origem bretã! Por estas e outras razões, somos a história contada em versos e prosa pelos gênios nacionais, ao longo de 116 anos de glórias – e lágrimas!
Saudações eternamente tricolores!
Ricardo Timon

Clique aqui e veja a lista com as últimas notícias do Fluzão!

PUBLICIDADE