Esqueceu o repelente, Barcelos? 




Danilo Barcelos (Foto: Lucas Merçon / Fluminense F.C.)

Esqueceu o repelente, Barcelos? A verdade é única, amigo leitor: o Mosquito ganhou todas as disputas contra o nosso lateral! A verdade é única, a justiça possui dois desdobramentos: não só o Gabriel Mosquito deitou e rolou, mas todos os mosqueteiros que caíram pelo setor – o gol do Fragner, o do 3 a 0, aconteceu nas costas do pobre Danilo.

O segundo desdobramento da justiça? Danilo foi o pior, contudo não foi o único. O Tricolor fez uma partida vexatória, depressiva, paralítica. A paralisia se deu em todos os setores. A defesa era incapaz de conter o volume de jogo adversário, era como uma mosca na teia. O meio-campo sofria com déficit de imaginação, de criatividade, parecia lobotomizado. O ataque, sem ser municiado, era solitário como um poeta romântico.

A derrota para o Corinthians foi constrangedora, humilhante. O Fluminense parecia sofrer de osteoporose moral, de tuberculose técnica e falência múltipla de jogo. O torcedor que, na rodada anterior coloriu o verde da esperança, despencava do sofá desamparado. Em todos os sofás da Guanabara, um Tricolor esbravejava contra a TV: sua mentirosa, mentirosa, cretina!  Tire a realidade daqui! 

O sentimento é o de perder mais do que três pontos, um mero jogo. Mais do que três pontos? Sim, amigo leitor! E não me refiro apenas ao ‘’jogo de seis pontos’’, ao confronto direto. O Fluminense havia perdido a chance de engrenar, a possibilidade de empolgar a torcida, de unir os corações apaixonados em prol de um objetivo. O Pó de Arroz perdeu a chance de emplacar, de consolidar o caminho para uma sequência positiva na tabela.

Está tudo perdido? Não, Tricolor! Com o triunfo santista na Libertadores, o G6 vai virar G8. O Tricolor tem chances reais de ficar entre os oitos primeiros colocados e, consequentemente, conquistar uma vaga na Pré-libertadores. O que desconsola, entristece e apavora é a derrota humilhante, o jogo apático e moribundo. A maior derrota Tricolor na história do confronto deprime, entristece. Uma última verdade, leitor: não há repelente contra a tristeza causada pela derrota humilhante!

Teixeira Mendes

Confira a agenda tricolor nos próximos quatro jogos pelo Brasileirão da Série A:

30ª rodada

16/01 – Sábado – 19h  – Fluminense x Sport – Nilton Santos

31ª rodada

20/01 – Quarta-feira – 20h30  – Coritiba x Fluminense – Couto Pereira

32ª rodada

23/01 – Sábado – 19h  – Fluminense x Botafogo – São Januário

33ª rodada

02/02 – Terça-feira – 20h  – Fluminense x Goiás – Maracanã

 

Tabela de classificação (ative a rotação automática do celular para ver a tabela completa)

TIMES P J V E D GP GC SG %
1 São Paulo São Paulo 56 29 16 8 5 49 27 22 64
2 Internacional Internacional 53 29 15 8 6 44 26 18 60
3 Atlético-MG Atlético-MG 50 28 15 5 8 48 36 12 59
4 Flamengo Flamengo 49 28 14 7 7 47 39 8 58
5 Grêmio Grêmio 49 28 12 13 3 37 23 14 58
6 Palmeiras Palmeiras 47 27 13 8 6 38 25 13 58
7 Fluminense Fluminense 43 29 12 7 10 39 37 2 49
8 Corinthians Corinthians 42 28 11 9 8 35 30 5 50
9 Santos Santos 42 28 11 9 8 39 35 4 50
10 Ceará Ceará 39 29 10 9 10 40 39 1 44
11 Athletico-PR Athletico-PR 38 29 11 5 13 26 28 -2 43
12 Atlético Goianiense Atlético-GO 36 29 8 12 9 26 33 -7 41
13 Bragantino Bragantino 35 29 8 11 10 37 35 2 40
14 Sport Sport 32 29 9 5 15 24 37 -13 36
15 Vasco da Gama Vasco 32 28 8 8 12 29 39 -10 38
16 Fortaleza EC Fortaleza 32 29 7 11 11 24 26 -2 36
17 Bahia Bahia 29 29 8 5 16 35 51 -16 33
18 Goiás Goiás 26 29 6 8 15 29 44 -15 29
19 Botafogo Botafogo 23 29 4 11 14 25 44 -19 26
20 Coritiba Coritiba 22 29 5 7 17 22 39 -17 25

PUBLICIDADE