Está bom? Os dois meses de Fernando Diniz à frente do Fluminense




Fernando Diniz (FOTO DE MARCELO GONÇALVES / FLUMINENSE FC)



Após pouco mais de dois meses à frente do comando do Fluminense, o trabalho do Fernando Diniz já pode ser analisado forma mais equilibrada e justa. Primeiramente, ele chegou com o time pressionado e com uma dura sequência de jogos pela frente. Logo de cara, o Tricolor disputou oito jogos entre os dias 4 e 29 de maio, ou seja, o técnico não teve uma semana livre para treinar. Ainda assim, a equipe conseguiu cinco vitórias, dois empates e perdeu apenas uma.

Entre junho e o início de julho, o Fluminense acumulou cinco vitórias, um empate e duas derrotas. Destaques para o show em cima do Atlético-MG e, principalmente, a clara evolução no desempenho do time. Até o momento, o aproveitamento é de 68,75%. Excelente!

Quando a vaca estava indo para o brejo na Copa Sul-Americana, cheguei a comentar era melhor mesmo o Fluminense ser eliminado, pois sobraria tempo para o Fernando Diniz trabalhar e, consequentemente, aplicar a sua metodologia. Alguns tricolores não gostaram do meu posicionamento, que foi baseado na questão física, características de elenco e tempo. Sinceramente, qual elenco consegue encarar três competições pesadas ao mesmo tempo?

As últimas atuações do Fluminense apresentaram sinais muito positivos. O Samuel Xavier, por exemplo, é outro jogador. Ele está confiante, arriscando mais e se movimentando muito até pelo meio, inclusive, aparecendo como um elemento surpresa na área adversária. Méritos do Diniz!

André, Ganso, Jhon Arias e Germán Cano iniciaram a temporada muito bem, porém, após a chegada do Fernando Diniz, parece que o quarteto está jogando ainda mais. Não tenho dúvidas em afirmar que o estilo de jogo adotado pelo comandante esteja potencializando o futebol dessa rapaziada. O Manoel também merece grande destaque, pois tomou conta da zaga e ainda está fazendo gols. Na lateral-esquerda, o Fernando Diniz apostou na improvisação do Caio Paulista. Confesso que não gosto do futebol do atacante, porém, tenho que admitir que a aposta tem dado certo. 

É claro que ainda tem muita água pra rolar, mas o momento é bom e dá sinais de esperança. O futebol apresentado pelo Fluminense até aqui é digno de elogios. Está perfeito? Claro que não, inclusive, o time passa alguns sustos na saída de bola, porém, é o risco que se assume quando há convicção no modelo de jogo. Teve falha contra o Atlético-MG, mas teve uma obra de arte na construção do terceiro gol contra o Corinthians. Faz parte do processo!

Finalizando, faço questão de deixar registrado que estou satisfeito com esses dois meses de trabalho do Fernando Diniz. Espero que ele siga fazendo o Fluminense evoluir cada vez mais e, consequentemente, alcance voos maiores na temporada!

Curtinhas:

– Ainda levo fé no crescimento do Martinelli sob o comando do Diniz.

– Matheus Martins oscilará, portanto, muita calma nessa hora! O moleque é promissor e sabe jogar.

– Gosto do Michel Araújo. Não é craque, mas joga sério e se doa muito em campo.

– Sobre o Alan e Marrony, vou aguardar entrarem em campo.

– Siga-me no Twitter através do perfil @ViniFLU18

Forte abraço e ST

Vinicius Toledo



PUBLICIDADE