Está de acordo com a realidade




FOTOS: LUCAS MERÇON / FLUMINENSE F.C.



Conforme comentei no pré-jogo do YouTube, a chance de vitória do Fluminense diante do Corinthians era boa. Um ou outro me chamou de otimista nos comentários do vídeo. Normal. E compreensível, pois a forma que o time perdeu para o Flamengo foi revoltante.

Porém, eu já tinha analisado os três últimos jogos da equipe paulista. Com base nas observações, não tinha dúvida de que o Fluminense tinha tudo para vencer, pois o time do Corinthians é muito fraco.

A bola rolou no Maraca. E a rapaziada comandada pelo Odair Hellmann começou em cima dos paulistas. O gol no início ajudou. Excelente jogada pela direita do Michel Araújo com o Calegari. Melhor ainda o rápido raciocínio e, principalmente, a finalização do Nenê. Mesmo deitado, o “vovô estava on”.

O Fluminense poderia ter matado o jogo logo, mas permitiu que o Corinthians entrasse nele a partir dos trinta minutos. No entanto, a equipe paulista esbarrou em suas próprias limitações. E também no Muriel, que fez grande defesa após venenosa cobrança de falta batida pelo Otero.

Na etapa final, o cenário não foi muito diferente. No Flu, faltou uma referência no comando do ataque. Infelizmente, Marcos Paulo deixou a desejar mais uma vez. Já o Felippe Cardoso segue saindo na porrada com a redonda. Em alguns momentos, Wellington Silva até surgia bem pela esquerda, mas não tinha com quem trabalhar uma tabela ou até enfiar a bola.

Já na reta final, um pênalti que caiu como uma luva, pois o placar de 1 a 0 num campeonato tão nivelado por baixo é muito complicado para segurar até o minuto final. Como sempre, Nenê bateu muito bem.

Quando tudo parecia resolvido, Danilo Barcelos foi expulso por conta de uma entrada violentíssima. Inadmissível. Assim como foi inadmissível o Nino dar o mole que deu no lance do gol do Corinthians.

O Fluminense não convenceu, mas fez por merecer os três pontos. Há quem cobre bom futebol, mas que ao mesmo tempo fala que o elenco é sofrível. Me desculpe a franqueza, mas essa linha de raciocínio não tem lógica. Sigo achando o elenco limitado. E esse problema ficou ainda maior após a saída do Evanilson. Sendo assim, com o Fred longe das condições ideais, Marcos Paulo em péssima fase e Felippe Cardoso apanhando da bola, o Fluminense precisa de um centroavante para ontem. Enquanto não contrata um homem de área, não seria válido testar Samuel Granada ou John Kennedy?

De qualquer forma, a vitória foi justa. Até aqui, a campanha está de acordo com a realidade do clube.

Curtinhas

– Finalmente, o Hudson apareceu. Excelente atuação. Ajudou bastante na construção de jogadas pelo lado direito com Calegari e Michel Araújo.

– Se o Hudson apareceu, o Dodi desapareceu. Porém, darei um desconto. Pode ser que seja consequência do desgaste físico por conta da sequência de jogos.

– O Luiz Henrique entrou bem.

– Na próxima quarta, contra o Atlético-GO, será dureza. Mas vencer é obrigação!

– O volante André gastou a bola na vitória do Flu sobre o Fla por 2 a 0, no último sábado, pelo Estadual Sub-20. Está sobrando na categoria. Acorda, Odair!

Forte abraço e ST!

Vinicius Toledo



PUBLICIDADE