Fim da sequência invicta no Brasileirão, vaias da torcida tricolor, falta de oportunidades a Marlon e muito mais: leia a entrevista coletiva de Marcão




Marcão (Foto: Lucas Merçon / Fluminense F.C.)



Marcão concedeu entrevista coletiva após a derrota do Fluminense para o Fortaleza

Após a derrota do Fluminense por 2 a 0 para o Fortaleza, na noite desta quarta-feira (06), o técnico Marcão concedeu entrevista coletiva no Maracanã. O treinador falou sobre o revés diante do time cearense, fim da sequência invicta no Campeonato Brasileiro, vaias da torcida tricolor, falta de oportunidades a Marlon e muito mais. Leia a íntegra abaixo:

Derrota para o Fortaleza

“Foi um jogo muito pegado, né? Acho que o treinador adversário até abriu mão do que ele vinha fazendo, em alguns momentos. Colocou uma equipe muito competitiva, e jogando também por essa bola. Não foi uma boa exibição das duas equipes, as duas equipes estavam parando nas marcações fortes. Eles tiveram o aproveitamento da bola parada. Em algum momento do jogo, nossa equipe esteve melhor, conseguimos trocar um pouco essa bola.

A gente até cobrou um pouco mais isso, mas a marcação estava muito encaixada, e não conseguimos fazer uma boa exibição. Foi um jogo grande, um jogo forte. A equipe do Fortaleza está muito bem, parabéns, mérito por aproveitarem as bolas paradas. E a nossa equipe é só se organizar, que sábado já tem uma grande partida, outra batalha. Levar de aprendizado dessa partida, o que aconteceu hoje não foi bom, para que a gente possa no sábado fazer um grande jogo.”

Gols sofridos em bolas paradas

“Sabíamos que a equipe deles tem um bom aproveitamento nas bolas paradas. E o detalhe foi contra a nossa equipe. Treinar mais para que não aconteça nas próximas partidas. Eles (jogadores) se cobraram, já sabiam, mas é treinar para que não aconteça mais.”

Bola no travessão em cobrança de falta de Danilo Barcelos

“Acredito que se aquela bola do Danilo, no primeiro tempo, entrasse, o jogo seria outro. A gente conseguiria manter a nossa equipe nos 45 minutos finais, com o apoio deles.”

Aproveitamento dos jovens

“Na verdade, a gente teve alguns dias de trabalho, onde esses que vieram, fizeram uma semana muito proveitosa e nos deram a condição de trazê-los, para que se houvesse a possibilidade da gente colocar, a gente teria que colocar também. O Abel e Raul também fazem as funções, o John Kennedy também faz a função parecida com o Abel, de movimentação. A gente hoje não conseguiu colocá-lo. Em algum momento, a gente pensou em colocar também mais um homem na frente, caso o Fred baixasse um pouco de produção, mas conseguiu aguentar até o final.

Os meninos que produziram muito por dentro, a gente teve que tirar, fazer essas duas linhas e continuar com dois homens de frente. Trazer esses meninos para gente. Vocês que nos acompanham sabem o que eles tão produzindo também. E aquele que na semana a gente perceber que possa vir contribuir, em relação ao jogo, com certeza eles virão e irão contribuir com a gente também.”

Vaias da torcida tricolor

“É lógico que assim, nossa equipe toma um gol, nossos jogadores criaram uma expectativa para esses torcedores, de chegar aqui, fazer um grande jogo e sair com a vitória. Na verdade, era a expectativa de todos nós. Falhamos com eles. Agora é organizar, botar a cabeça no lugar e pedir de novo que o torcedor venha no sábado, e apoie de novo esses meninos que vão precisar muito deles nessa reta final do Brasileiro.

O torcedor a gente apoia 100% que ele esteja aqui, nos cobrando, incentivando, para que a gente possa jogar junto deles e buscar sempre a vitória.”

Fim da sequência invicta no Brasileirão

“A gente sabe que o Campeonato Brasileiro é muito difícil. A gente realmente fica feliz, pela marca alcançada. Mas a gente sabe que em algum momento ia ter um resultado reverso. Esse grupo joga muito junto. Hoje, a gente sofre bastante pelo resultado, por nossa equipe não ter conseguido dar essa vitória para o nosso torcedor. Mas amanhã, a gente já volta, já pensando no próximo jogo, e vamos começar tudo de novo.

Vamos para o jogo um, jogo dois, jogo três, até onde nos permitirem. Tendo em vista os resultados da rodada, as equipes sofreram muito, as equipes jogaram em casa. São jogos muito difíceis, Campeonato Brasileiro é muito regular, as equipes são parecidas, mas a gente vai buscar essa regularidade, para terminar bem.”

Apoio da torcida aos moleques de Xerém

“A gente tentou passar a mensagem, que realmente ia acontecer esse ambiente. Tem a parte a favor, mas em algum momento poderia ter a pressão lá de cima. Mas são meninos que tinham que vivenciar tudo isso. São meninos talentosos, que vem tendo um acompanhamento muito bom dos nossos profissionais, e eu tenho certeza de que a adaptação é muito rápida.

A gente espera sair com resultado positivo. A gente passou hoje um momento não muito bom, essa cobrança em cima dos meninos, mas a gente espera que, em breve, a gente faça bons jogos, consiga os resultados, para eles terem o sabor da nossa torcida jogando ao nosso lado.”

Partida dura e feia

“O jogo, por si só, foi um jogo muito difícil. Foi um jogo que a gente falou no intervalo, que seria resolvido nos detalhes. O Juan veio com uma proposta de igualar nosso tripé de meio-campo. Ele igualou, botou mais força, botou um time mais combativo, e realmente seria decidido no detalhe. Eles se cobraram no intervalo, em relação a bola parada do adversário, para a gente não tomar os gols, não ter perigo, e a gente achar nossa bola, como foi a do Danilo, e outras duas intervenções que a gente conseguiu furar a defesa deles, pelos lados. Mas. infelizmente a gente saiu atrás, e teve que arriscar.

Foi um jogo brigado, um jogo feio, acho que não foi um jogo bonito para quem assistiu. Eles foram eficientes na bola parada, e vamos continuar trabalhando, um dia após o outro. Amanhã já vira a chave, ver tudo que o adversário fez, para no sábado a gente vivenciar tudo de novo com nosso torcedor, para a gente fazer um grande jogo e segurar essa vitória para eles, que eles tanto merecem.”

Interferência da torcida?

“Acho que não. Foi um jogo brigado, um jogo difícil, independente de ter torcida ou não, foi um jogo decidido dentro de campo, sabe? Um jogo pegado, um jogo brigado. Não necessariamente a torcida tenha influenciado negativamente. A gente pede ao torcedor que ele venha, e sábado esteja aqui para empurrar nosso time para cima.”

Falta de oportunidades a Marlon

“Acho que foi uma partida regular, como toda a nossa equipe. Ele (Danilo Barcelos) já vinha numa pressão externa muito grande, e chegou o momento que o torcedor cobrou mais ele. Mas é um jogador muito forte mentalmente, tem apoio de todos os companheiros, de todos nós. E sobre o Marlon, ele é um menino que vem treinando também, está esperando uma oportunidade, e se tiver a oportunidade e eu colocá-lo, irá responder a altura e nossa equipe dará total apoio.”

Clique aqui e veja a lista com as últimas notícias do Fluzão!



Por Explosão Tricolor

E-mail para contato: explosao.tricolor@gmail.com

PUBLICIDADE