Fluminense, Marcão, Odair Hellmann, Corinthians, etc…




Marcão (Foto: Lucas Merçon / Fluminense F.C.)



Grande campeonato do Fluminense, grande mesmo. Contra tudo e contra todos, a rapaziada competiu bravamente durante todo o Brasileirão.

Ainda sob o comando do Odair Hellmann, o time desenvolveu um forte sistema de marcação durante o turno. Além da disciplina tática para blindar o sistema defensivo da melhor forma possível, a jogada de bola parada também foi algo muito bem treinada e, principalmente, executada. Não foi à toa que ela foi responsável por mais de 40% dos gols da equipe. Porém, o time deixava a deseja nas construções de jogadas com  bola rolando. Na minha visão, esse era o maior problema do trabalho do Odair Hellmann. E isso se agravava por conta de algumas escolhas equivocadas na escalação, que por muitas vezes engessavam o time.

Após a saída do Odair, Marcão assumiu a responsabilidade justamente no momento crucial, que é o returno do Brasileirão. O início não foi bom e as críticas foram bem injustas ou ninguém mais se lembra que o time tinha o Igor Julião, Yuri, Hudson e até o Felippe Cardoso como opção imediata para o segundo tempo?

Há um ditado que diz que há males que vem para o bem e ele se aplica perfeitamente ao Fluminense sob o comando do Marcão, pois a humilhante goleada sofrida para o Corinthians foi um divisor de águas. Após a terrível noite na Neo Química Arena, as coisas mudaram na escalação. O time ganhou mais leveza, velocidade e dinamismo. A marcação e a recomposição voltaram a se ajustar.

Em grande evolução, todos os setores do time passaram a ter uma excelente performance. A defesa passou a ficar muito sólida. Já o meio de campo passou a acelerar o jogo com qualidade sem perde a combatividade na marcação. No ataque, Fred soube usar a sua inteligência de diversas formas e o restante correu bastante até para ajudar na recomposição defensiva.

Os resultados sob o comando do Marcão vieram, porém, com um diferencial em relação ao trabalho do Odair: um futebol bem mais bonito, que não impediu o time de perder a forte pegada na marcação.

Belo trabalho desenvolvido pelo Marcão, que mais uma vez não fugiu da dividida e mandou muito bem. O eterno guerreiro da armadura tricolor número 5 merece muitos aplausos e todo o respeito!

Para encerrar, o Fluminense é gigante e vive de títulos. Que essa quinta colocação seja a pavimentação para a estrada de voos maiores!

Curtinhas

– O time teve uma boa atuação diante de um Fortaleza que até tentou fazer uma graça.

– Fred é f….!

– Luccas Claro não estar na seleção do campeonato só não é pior que a péssima utilização do VAR no final do Brasileirão.

– Calegari tem o meu total respeito. Moleque é sinistro!

Forte abraço e ST

Vinicius Toledo



PUBLICIDADE