Fluminense tem vantagem em todos os confrontos de ida e volta no Brasileirão




Foto: Vinicius Toledo / Explosão Tricolor

Amigos Tricolores, os que me acompanham sabem que gosto de uma estatística. E hoje vou discorrer sobre os confrontos do Brasileirão 2018 que já se completaram, ou seja, adversários contra os quais já fizemos as duas partidas.
Começando a oitava rodada do segundo turno hoje, já enfrentamos 7 adversários em ida e volta. Vamos à análise:
Em primeiro lugar esclareço que usarei o critério da CBF para desempate em confrontos com saldo igual, ou seja, o gol qualificado na casa do adversário. Embora nem na Copa do Brasil esteja mais sendo usado este critério discutível, foi o que pude usar.
Contra o Corinthians, por exemplo, perdemos na casa deles por 2 x 1, e como vencemos no Maraca por 1 x 0, superamos pelo critério do gol qualificado.
Mesmos raciocínio e critério para os jogos contra o Cruzeiro, já que os placares foram idênticos.
O terceiro confronto foi contra o São Paulo, e somente neste há um empate em tudo, já que foram dois jogos terminados em 1 x 1. Ficamos na expectativa de uma disputa de pênaltis para eu completar minha coluna. Vou pedir à dona CBF… No momento, empate com o líder da competição.
A seguir veio o Vitória. Vencemos lá por 2 x 1 e empatamos em casa sem gols.
Contra o Botafogo repetem-se os placares dos confrontos contra Corinthians e Cruzeiro. Vence o Flu pelo gol qualificado.
Próximo? O Atlético paranaense. 2 x 0 aqui e derrota por 3 x 1 lá. Olha o gol qualificado nos beneficiando de novo!
Aí vem o antigo algoz, agora freguês. O time da Chapecoense, que foi o primeiro adversário tricolor a perder as duas para nós este ano. Seis pontos limpos e indiscutíveis.
Hoje a partida é contra o Grêmio, e lembro que empatamos lá o primeiro jogo, em 0 x 0. Bora ganhar deles, Fluzão?
Ah, tá. Esta estatística diz pouca coisa. Talvez possamos depreender pelo menos que o Fluminense vem se tornando um bom time de mata-matas, o que aliás até já ouvi do trabalho do Marcelo Oliveira, pelo seu currículo, e aqui no Flu por um rápido desempenho na Copa Sul-Americana.
Quinta-feira, por sinal, tem jogo da volta contra o Deportivo Cuenca, do Equador. Se não arrumaram nada lá e tomaram por 2 x 0, não vai ser aqui, na “baixitude” e com o bom público que estamos prometendo, que iremos dar este mole, certo?
Eu estarei lá, com certeza, na Superior Sul! E você, Amigo Tricolor? Está mais do que na hora de darmos aquela força!
PITACOS DA BASE TRICOLOR:
– Pelo primeiro jogo da semifinal do Campeonato Brasileiro Sub-20, a garotada de Xerém perdeu em Los Larios por 2 x 0, para o Palmeiras. Péssimo placar, pois teremos que reverter isso em São Paulo no jogo da volta, na terça-feira que vem. Tarefa muito difícil para um time que, neste ano, já me surpreendeu por ter chegado às semifinais da competição. O destaque do time, o volante Zé Ricardo, não atuou no primeiro jogo. Na outra semifinal, Vitória da Bahia 6 x 1 Derrota do Urubu. Repito: 6 x 1 em cima do cheirinho sub-20!
– E pelos Estaduais Sub-15 e Sub-17 o Fluminense cumpre tabela hoje contra o Nova Iguaçu, na casa do adversário, em jogos  às 13 e 15 horas. O time já está classificado para as semifinais do Estadual, assim como os outros três grandes. Semifinais a partir de sábado, dia 13 de outubro, em confrontos de ida e volta. Destaque para os ataques tricolores, que no Sub-15 marcou 66 gols em 17 jogos, e no Sub-17 marcou incríveis 90 gols em 23 jogos. Marcas muito superiores às das demais equipes.
– No sábado passado estive nas Laranjeiras e assisti aos confrontos contra o Vasco. Vitória nossa por 2 x 1 no Sub-15 e empate por 1 x 1 no Sub-17, com o Fluminense conquistando o ponto extra nos pênaltis, por 5 x 4. Detalhe é que quando vencia por 1 x 0 no Sub-17 a torcidinha adversária ensaiou gritos de olé. Resultado: tomou empate, quase a virada, e perdeu nos pênaltis. Sempre que ocorre empate em jogos da fase classificatória da competição ocorre a disputa de um ponto extra nos pênaltis.
– E ainda tem o Torneio Guilherme Embry 2018, uma espécie de Estadual da categoria Sub-16, que teve como classificados para o turno final o Botafogo (vencedor do primeiro turno), Flamengo (vencedor do segundo turno) e Fluminense (entrou pela soma de pontos). O triangular final começa em 10 de novembro, somente.
– Nas diversas categorias da base, e inclusive no futsal, que é um celeiro para a transição para o campo, o trabalho do Fluminense é de excelência. Disputa praticamente todas as competições e ganha várias, lembrando que o importante na base é este trabalho positivo. Os títulos são consequência.
Porque O IMPORTANTE É O SEGUINTE: SÓ DÁ NENSE!!!
Por PAULONENSE  /  Explosão Tricolor

PUBLICIDADE