Fred sobre jogo no Engenhão: “com o Maracanã liberado fica triste”




Nem mesmo o retrospecto favorável anima o torcedor acostumado ao Maracanã a comparecer ao Engenhão neste sábado. Com três títulos conquistados no estádio (2 Brasileiros e 1 Carioca) contra apenas 2 do “dono da casa” (1 Taça Rio e 1 Taça Guanabara), os torcedores chamam o lugar de “Salão de Festas”, mas não preferem ir até lá do que ao Maracanã, casa do Fluminense. O capitão e artilheiro Fred, suspenso do jogo de sábado, comentou sobre o jogo ser no estádio ainda em obras e sem capacidade total:

– Nós conquistamos três títulos lá. Dois Brasileiros e um Carioca, participei de todos. Estamos habituados a jogar, estádio bacana, mas com o Maracanã à disposição deixa muito pequeno (o clássico). Se o Maracanã não estivesse liberado, aí sim. Seria uma ótima oportunidade para os dois clubes, mesmo não podendo lotar o Engenhão. Com o Maracanã liberado fica triste, não só pela grandeza dos dois clubes, mas pela história dos torcedores. Os torcedores dos quatro clubes têm isso na cultura, de levar os filhos ao Maracanã.

Já René Simões, técnico do Botafogo, defendeu o uso do Engenhão:

– Vi o presidente do Fluminense aborrecido com a troca. Claro, porque o Maracanã é onde o Fluminense gosta de jogar, é seu habitat. Este aqui é o nosso. Tirando aquele amistoso contra o time chinês (Shandong Luneng), que não valia nada, todas as partidas aqui foram vitórias. É importantíssimo jogar em casa. Você conhece os caminhos, olhando as placas você tem as referências, sabe onde a equipe está posicionada – explicou o técnico René Simões.

Vale lembrar que a manobra para levar o jogo para o antigo João Havelange fere o Estatuto do Torcedor e a própria regra da FERJ de mando de campo e finais disputadas no Maracanã.

Por Explosão Tricolor / Fonte: Globoesporte.com / Foto: Photocamera

Siga-nos no Twitter e curta nossa página no Facebook

PUBLICIDADE