Fred?




Foto: Divulgação / Fluminense FC



Está lançada a temporada de especulações no futebol brasileiro. Dentre as muitas idas e vindas das notícias, algumas aparentam ter fundamento. É o caso da contratação de Fred e Thiago Neves pelo Fluminense. Considerando a maior repercussão que a chegada do camisa 9 teria nas Laranjeiras, o foco será nele.

Antes de mais nada deve ficar muito claro que o Fred é ídolo da torcida. Poucos jogadores nos últimos anos podem ostentar esse status e o atacante é um deles. Além do longo tempo em que permaneceu no clube, de 2009 a 2016, ele participou de campanhas importantes, como os títulos brasileiros de 2010 e 2012, além da fuga do rebaixamento de 2009, sendo um dos seus protagonistas.

Porém, atualmente Fred não tem o mesmo rendimento dentro das quatro linhas. Com 36 anos e com desempenho visivelmente abaixo do que se espera de um jogador de elite, o centroavante não reúne condições de disputar campeonatos de alto nível, não sendo uma contratação que agregará valor competitivo à equipe. E os números são cruéis e cirúrgicos neste aspecto.

No total, Fred entrou em campo 54 vezes pelo Cruzeiro em 2019, marcando 21 gols. A média seria de razoável para boa, salvo se verificarmos as disputas em que eles foram marcados. Isso porque foram 12 gols no Campeonato Mineiro, cinco no Brasileirão e quatro na Libertadores. Ou seja, nas competições de maior peso e com times mais qualificados, Fred não rendeu o suficiente para ser considerado um reforço de peso para o Fluminense. 

Além dos números ruins em 2019, as famosas lesões do jogador deram a cara também em 2018. Em razão delas, ele entrou em campo somente 15 vezes ao longo daquela temporada, marcando apenas quatro gols, sendo um no Mineiro e três no Brasileiro. E olha que naquele ano o Cruzeiro foi campeão da Copa do Brasil, o que sugere que Fred não fez falta ao time.

Números meramente razoáveis o jogador atingiu nos Brasileiros de 2016 e 2017, quando vestiu a camisa do Atlético Mineiro. Nos dois anos ele marcou 12 gols em cada, o que, se não lhe rendeu a artilharia, pelo menos permitiu que não fizesse feio no lado preto e branco de Minas.

Não podemos esquecer que este ano Fred ficou no banco de reservas por diversas vezes no Cruzeiro, perdendo vaga para os irregulares Sassá e Pedro Rocha, o que demonstra que o seu rendimento não foi nada bom em 2019. Pra se ter uma ideia, no jogo decisivo contra o Palmeiras domingo no Mineirão, o centroavante ficou no banco e sequer entrou na partida.

E as notícias ruins sobre Fred não param por aí. Nesta temporada ele chegou a ficar 16 jogos sem marcar, encerrando o jejum na 15ª rodada do Campeonato Brasileiro quando o Cruzeiro venceu em casa o Santos pelo placar de 2 a 0. Para um centroavante que vive de gols, essa “seca” diz muito sobre o que ele ainda pode produzir.

É claro que uma possível chegada do Fred movimentaria os bastidores e até aumentaria a receita logo no anúncio e motivar a arquibancada. Afinal, para alguns, ele é o maior ídolo recente do clube e a sua chegada trará a ideia nostálgica de que viveremos novamente a época de glória de poucos anos atrás, quando o time entrava nas competições nacionais como um dos favoritos ao título. Contudo, os tempos são outros e a própria condição atlética do jogador não permite que ele tenha o mesmo desempenho de antes.

Particularmente, acredito que uma eventual contratação de Fred será muito ruim para o clube e para o novo trabalho que se iniciará em janeiro. Certamente o jogador não tem condições físicas de disputar uma temporada desgastante como a do futebol brasileiro e frustrará quem acredita que ele pode render bem com a camisa 9 Tricolor. O antigo Fred já não existe mais!

Ao que tudo indica, Mário Bittencourt quer trazer o atacante de volta pro Rio de Janeiro, ainda que seja apenas para disputar o Campeonato Carioca. E, ao que parece, a maior parte da torcida também tem esse desejo. Mas se olharmos os números e pensando no futuro da equipe, a sua contratação em nada contribui para a formação do elenco. Pelo contrário, os ganhos elevados que ele recebe pode ser mais uma razão para os constantes atrasos salariais no clube. 

Enfim, por todos os ângulos e esquecendo o lado apaixonado do torcedor, é evidente que Fred é um mau negócio para o Fluminense atualmente. Façam um busto dele nas Laranjeiras, contratem-no como dirigente, mas na condição de jogador não dá mais.

Aguardemos as negociações e especulações normais deste período, torcendo para manter bons nomes como Caio Henrique, Allan e o garoto Evanilson. E que a diretoria não aposte em alguém cujo passado foi grande, mas o presente não atende às necessidades do futebol moderno.

Ser Fluminense acima de tudo! 

P.S.: bola dentro da diretoria ao usar o dinheiro da premiação do Brasileiro para quitar a CLT da turma. Ainda faltam os direitos de imagem e o 13º deste ano, mas já é uma grande notícia o acerto com a rapaziada.

Evandro Ventura



PUBLICIDADE