Goleada, reação no vestiário, culpa em caso de não classificação para a Libertadores e muito mais: leia a entrevista coletiva de Ailton Ferraz




Ailton Ferraz (Foto: Lucas Merçon / Fluminense F.C.)

Auxiliar comandou o Fluminense na ausência do técnico Marcão, afastado por conta da Covid-19

Após a goleada sofrida pelo Fluminense por 5 a 0 diante do Corinthians, na noite da última quarta-feira (13), o técnico Ailton Ferraz concedeu entrevista coletiva na Neo Química Arena. O treinador falou sobre a goleada, a reação no vestiário após o jogo, a culpa em caso de não classificação para a Libertadores e muito mais. Leia a íntegra abaixo:

Explicação para a derrota

“A resposta fica até difícil. Fizemos contra o Flamengo um segundo tempo muito bom. E viemos para um confronto direto e não tivemos uma resposta nos dois tempos. Sem dúvida que o sentimento é de muita tristeza. O Fluminense é um time gigante. Nós respeitamos muito o Corinthians, mas não era para tomarmos uma goleada como essa.

Uma noite para apagarmos da história do Fluminense, mas para tirar muitas lições. Para que não cometamos mais os erros. É muito triste um time que vem de uma vitória tão importante sobre um rival tomar de cinco hoje Temos que analisar bem onde foram os erros. Sabemos que temos que levantar a cabeça dos atletas porque já temos jogo sábado. Pensar grande para ganharmos o Sport.”

Reação no vestiário

“Conversamos, nos cobramos. Todo mundo é muito responsável. Cada um sabe a sua culpa. Tenho certeza que para sábado teremos uma equipe muito diferente para conseguirmos um resultado favorável.”

Análise do jogo

“Pegamos uma equipe de transição rápida e demoramos muito para baixar as linhas. Nosso time hoje foi muito abaixo. Não conseguimos segurar o Corinthians e atacar para tentar fazer gol. Fomos descoordenados.”

Por que não mudou o time?

“Quando se vem de uma vitória com esse time sobre o Flamengo, não tem muito o que mexer. O time virou um jogo mesmo não jogando muito bem o 1º tempo, mudou a postura e virou sobre o Flamengo. Mas, sem dúvida, Martinelli e André (citados na pergunta) são atletas que estão dentro do que imaginamos para ajudar a equipe, assim como outros. Mas acho que não se deveria mexer em um time que vinha de uma vitória sobre o Flamengo. Tentamos repetir a mesma equipe, não tivemos um bom 1º tempo, tentei mudar, fazer o mesmo esquema tático que estava jogando o Corinthians, botando o Nenê à frente dos dois volantes. Mas nossa transição estava muito devagar. Com isso, pagamos caro.”

Nem sempre dá certo…

“É muito cedo pós-derrota achar que está tudo ruim. Temos que analisar friamente. Sabemos que pecamos muito hoje, principalmente nas transições, tanto ofensivas, quanto defensivas. E quando se pega uma equipe qualificada como é a do Corinthians, ao não fechar os espaços, você tem muito a sofrer. Mas tenho certeza que vamos ajustar o que precisa ser ajustado. Não adianta acharmos que está tudo errado. Sabemos onde temos que mexer, onde temos que melhorar um pouco mais. Vamos analisar muito bem esse jogo. Precisamos melhorar nosso 1º tempo. Nosso começo tem sido muito ruim e acaba que no 2º tempo não conseguimos crescer. Contra o Flamengo deu certo, mas hoje não tivemos sucesso e pagamos caro por não estarmos com aquela determinação de mudar.”

Dá para mudar até sábado?

“É questão de muito ajuste. Não temos tempo. Sexta ainda tem o cansaço, mas vamos fazer trabalhos táticos. O Marcão volta, vamos conversar para saber onde ser mexido ou não. Mas algo vai ser feito para termos um Fluminense diferente no sábado. Podemos fazer isso, temos peça para fazer isso. Vamos fazer o que for preciso.”

E se a vaga para a Libertadores não vier, de quem é a culpa?

“Na vida você tem que saber onde você está entrando. Eu me sinto responsável, mesmo se não estivesse à frente, como auxiliar. Não vou me eximir de culpa nenhuma. A gente acerta e erra. Hoje foi anormal o que aconteceu. Não temos que achar que está tudo errado, mas dá para consertar. os erros que tivemos. Não erra um só, todos erramos. Mas sem dúvida ficamos tristes. Viemos de uma derrota importante sobre um rival e, em um jogo de confronto direto, fazemos uma partida como essa. Foi legal o vestiário porque conversamos, nos cobramos. Todo mundo é muito responsável. Cada um sabe a sua culpa. Tenho certeza que para sábado teremos uma equipe muito diferente para conseguirmos um resultado favorável.”

Clique aqui e veja a lista com as últimas notícias do Fluzão!

Por Explosão Tricolor

E-mail para contato: explosao.tricolor@gmail.com

PUBLICIDADE