Identificação com o Fluminense, duelo contra o Grêmio, parceria na zaga com Luccas Claro e muito mais: leia a entrevista coletiva de Nino




Foto: Lucas Merçon / Fluminense F.C.




 
Zagueiro concedeu entrevista coletiva após o treino da manhã desta quinta-feira

No início da tarde desta quinta-feira (06), o zagueiro Nino concedeu entrevista coletiva no CT Carlos José Castilho. O defensor falou sobre sua identificação com o Fluminense, expectativa para o Brasileirão, duelo contra o Grêmio, parceria na zaga com Luccas Claro, salários em dia, saída de Gilberto e muito mais. Confira abaixo todas as respostas do jogador:

Identificação com o Fluminense

– Sou muito identificado com o Fluminense. Me sinto muito orgulhoso e muito honrado de poder vestir essa camisa. É como se eu fosse da base do clube. Eu me sinto como se tivesse sido criado e revelado aqui. Tenho uma gratidão enorme pelo clube, por ter me dado a oportunidade no ano passado. E tento retribuir dentro de campo com aquilo que sei fazer, com aquilo que vai ajudar meus companheiros. Sentimento de amor e gratidão que com certeza ficarão marcados na minha vida. Falarei para meus filhos e netos que joguei aqui, que fui feliz, abraçado pelos funcionários, torcida. Quando se fala de Fluminense só tenho sentimentos bons e muita gratidão.

Expectativa para o Brasileirão

– A história e a camisa que o Fluminense tem, o respeito que o Fluminense tem… Isso tudo faz com que a realidade do Fluminense seja brigar pelo título em todas as competições que entra, por coisas grandes. Infelizmente os resultados nos últimos anos não têm sido bons, isso me incomoda muito. O resultado do ano passado me incomodou muito. Na minha opinião, poderíamos ter ficado em uma posição muito melhor pelo futebol que jogávamos. Nós estamos incomodados e concentrados para que esse ano isso não se repita. Todos sabemos do lugar que o Fluminense merece estar. E nosso trabalho, nossa mente, nosso foco é colocar o Fluminense no lugar que ele merece. Todos pensamos dessa forma e estamos trabalhando para que esse campeonato seja diferente em relação ao dos últimos anos: muito mais tranquilo em relação a rebaixamento e muito mais ambicioso em relação a grandes coisas que vamos buscar.

Duelo contra o Grêmio

– Com certeza é um jogo muito difícil. Sabemos o potencial que tem o time do Grêmio, a qualidade deles. Fizeram um jogo muito bom contra o Inter ontem. Sabemos as dificuldades que vamos encontrar. O jogo fora de casa é meio relativo, sem torcida o clima fica igual para as duas equipes. Estamos bem focados. Nesse tipo de jogo, sem o público, a concentração tem que estar ainda m, ais alta. Sabemos que o professor, por ter passado um bom tempo lá em Porto Alegre, conhece o time do Grêmio. E ele tem nos passado aquilo que ele sabe que a equipe deles têm de melhor. Estamos bem atentos, temos trabalhado em cima disso, para que estejamos muito bem preparados para este fim de semana, para fazermos um grande jogo.

Parceria na zaga com Luccas Claro

– O Luccas Claro é um jogador que está mais do que preparado. Fez grandes jogos no começo do ano. Joguei com ele duas vezes, me senti muito bem jogando ao lado dele. Nós estamos treinando juntos, todos os dias, então essa questão de entrosamento, organização, fica mais de lado. A gente consegue organizar ali dentro de campo, conversando. O mais importante nesse momento é a comunicação, para que possamos nos ajudar sempre, passando confiança, demonstrando confiança. O que vale ressaltar é a qualidade dele, e isso é indiscutível.

Salários em dia

– É o mínimo, é o direito de todo o trabalhador. Mas sabemos do esforço do clube, de toda a dificuldade que o clube tem enfrentado, não só agora, é coisa de anos anteriores. Ficamos muito felizes de estarmos sendo recompensados com todo esforço do presidente, da diretoria, para que as coisas estejam em ordem, para que tudo esteja organizado. Ficamos honrados de trabalhar com pessoas tão sérias. Estou muito feliz. Espero que um dia, o mais rápido possível, todos também possam reconhecer o esforço do presidente, do Paulo Angioni e de todos aqueles que trabalham além da conta para aparar de alguma maneira o prejuízo que o clube teve em tantos anos anteriores.

Saída de Gilberto

– A situação do Gilberto já sabíamos do interesse, já havia sido noticiado. Mas, eu, pelo menos, fui pego de surpresa. Não sabia que seria tão rápido. Ontem mesmo ele já se despediu. Mas o sentimento é de gratidão por tudo que ele fez pelo clube. Desejo tudo de bom para ele. Espero que ele possa ser muito feliz e realizado lá na Europa.

Vitória sobre Fred no futevôlei

– Realmente ele é meu pato no futevôlei. No vídeo ele falou que perdeu para mim, mas não foi uma derrota normal não, foi uma surra (risos).

Jogadas aéreas de bola parada

– Estudos mostram que saem muito mais gols em bolas paradas do que em construção de jogadas. É uma coisa que decide jogo, decide campeonato. Nós trabalhamos para isso. Nossos zagueiros têm a bola aérea ofensiva como ponto forte. Temos trabalhado isso, o professor Odair tem treinado intensamente. Na hora do jogo é muito mais concentração e agressividade, porque já está tudo ensaiado. É isso que temos tentado fazer e com certeza vamos melhorar e ter muito mais gols na bola parada ofensiva.

Ausência de público nos estádios

– A gente sente muita falta da nossa torcida, mas, de certa maneira, todos os jogos ganham uma igualdade. E o que vai fazer a diferença é mais o time que estiver mais organizado, mais concentrado, o time que está querendo mais. Se é bom ou ruim, é muito difícil responder. Mas sentimos muita falta da nossa torcida e esperamos que o mais rápido possível possamos contar com eles. Sem torcida o ambiente é mais propício para que você se desconcentre, pense em outras coisas. Precisaremos trabalhar muito isso, para que nos jogos não sejamos surpreendidos e possamos conquistar bons resultados.

Grande número de jogadores lesionados

– É normal em um tempo de adaptação. Ficamos três meses sem jogar e a volta é muito difícil. Foram lesões com circunstâncias diferentes. A minha não teve nada a ver com adaptação, foi um lance sozinho, que não tem explicação, mas que pode acontecer. Creio que a logística que foi montada para o Campeonato Carioca foi muito errada. Nós voltamos e, com pouco tempo de treino, já tivemos que jogar. Agora ficamos parados e o Campeonato Paulista voltou, teve um grande tempo de preparação e agora já vão continuar para o Campeonato Brasileiro com ritmo de jogo. Isso tudo interfere. Poderiam ter tomado outras medidas para que isso fosse amenizado.

Elenco experiente

– É muito importante. Todo time bom, todo grupo forte, se faz com jogadores experientes. Eu não vivi coisas que eles viveram, e eles podem me dar um suporte muito grande por causa disso. Sei que na sequência de jogos, quando os resultados tiverem oscilando, jogadores sendo perdidos por suspensão, jogadores com desgaste, essa experiência fará a diferença. É muito importante contar com eles, tenho certeza que eles nos ajudarão muito dentro do campeonato.

Bom ambiente no clube

– O Fluminense é um clube diferente, muito especial. E não é porque estou na frente de alguns funcionários que vou falar isso. Desde que cheguei, os funcionários daqui fazem o ambiente ficar muito bom. É muito diferente trabalhar no Fluminense. E isso, com certeza, reflete dentro de campo. No vestiário o ambiente é bom, nossa relação com o treinador é boa, nossa relação com a direção é boa, de transparência. É um ambiente maravilhoso. Nossa preocupação, quando estamos aqui, é de trabalhar. Com certeza isso nos ajuda, reflete dentro de campo. E isso faz com que venhamos a trabalhar muito mais felizes. É uma honra vir trabalhar com as pessoas que temos aqui.

Clique aqui e veja a lista com as últimas notícias do Fluzão!



Por Explosão Tricolor 

E-mail para contato: explosao.tricolor@gmail.com

PUBLICIDADE