Isonomia? Onde?




Há um princípio, conhecido como Isonomia que garante o tratamento igual.  Como prevê a nossa constituição:

“Art. 5º Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à IGUALDADE, à segurança e à propriedade. ”

A palavra isonomia que deriva do grego “iso”(igual) + “nomos” (lei) + “ía” (abstrato) e que literalmente significa tratamento igual perante à lei.

Parece simples, não? Pois é, nobres companheiros. Nos parece muito simples.

Porém, parece que senhores com anos e anos de “curso” não entenderam.

Já fui um dos que fazia coro de que não passava de “mania de perseguição” e de que tudo corria de forma natural.

Porém, o Carioca 2015 evidenciou a vergonha que é o ex- campeonato mais charmoso. De maneira completamente ARBITRÁRIA, a Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro tomou algumas atitudes que levaram a tal indignação.

Vale lembrar o pacote de situações “sinistras” que o Fluminense ganhou neste campeonato: na primeira partida, o jogo foi tirado do Maracanã com menos de uma semana de antecedência, erros absurdos de arbitragem contra a esquadra tricolor, punição do vice de futebol, julgamento do principal jogador da equipe que foi enquadrado no artigo 1º da lei da mordaça adotada no Carioca, denúncia no presidente Peter Siensem e rechaçamento das declarações do Eurico Miranda.

As coisas pioram, meus caros. Algo me preocupa mais do que as “manobras” escancaradas do futebol carioca. A passividade do nosso departamento jurídico é de se assustar.

Por que se calar? Por que não brigar? Por que?

Enquanto isso, o mais prejudicado é o espetáculo. Então meus caros, contra tudo e contra todos AQUI É FLUMINENSE! EU e VOCÊ amantes do Fluminense somos os únicos capazes de empurrar, reclamar e, de fato, MUDAR o quadro atual.

Participe. Jogue junto.

Por Eduardo Mury

Siga-nos no Twitter e curta nossa página no Facebook

PUBLICIDADE