Na conta do Marcão




Marcão (Foto: Lucas Merçon / Fluminense F.C.)

Infelizmente, o Fluminense se recusou a vencer na Arena Pantanal. É bem verdade que o Samuel Xavier foi imprudente no lance do pênalti que originou o primeiro gol do Cuiabá. Como também é verdade que o sistema defensivo cochilou no lance do gol de empate. Porém, coloco o frustrante resultado na conta do técnico Marcão.

Primeiramente, a equipe mato-grossense estava toda desfigurada. Sendo assim, o Fluminense tinha uma oportunidade de ouro para se impor até mesmo com uma formação um pouco mais ofensiva. Havia mesmo a necessidade de escalar três volantes? Jhon Arias no banco? O colombiano não poderia ter entrado na vaga de um dos volantes ou do Caio Paulista, que não vem jogando nada?

Para piorar, a dupla Cazares e Lucca teve prioridade na fila para entrar na etapa final. Enquanto isso, Arias e John Kennedy tiveram que aguardar. Quando os dois entraram, o Fluminense ganhou qualidade na distribuição de passes e movimentação no ataque. O Arias mostrou que precisa estar no meio de campo tricolor. Já o John Kennedy incomodou bastante a zaga adversária e até deu uma boa finalização. No entanto, já era tarde, e o placar ficou no 2 a 2.

Não dá para ignorar o gol do Nonato, que foi anulado pelo VAR. Achei a marcação equivocada após olhar o lance atentamente nos mínimos detalhes, mas esse erro não pode servir para mascarar os problemas.

Já perdi a conta de quantas vezes comentei que acredito que dê para fazer o Fluminense render melhor e, consequentemente, se aproximar mais das vitórias. Porém, o Marcão terá que romper com algumas peças desse elenco ou será que alguém em sã consciência ainda acredita em time competitivo com jogadores como, por exemplo, o Samuel Xavier, Danilo Barcelos e Cazares?

É para lamentar bastante esse empate, mas a maior lamentação mesmo é a falta de perspectiva de que o Marcão bancará as mudanças necessárias.

Observações:

– Pode ser o Fred, Abel Hernández ou Bobaddila, mas a verdade é uma só: homem de área precisa ser abastecido pelo meio e, principalmente, pelos laterais. A jogada do gol marcado pelo Bobadilla é uma grande prova disso.

– Grande atuação do Luiz Henrique.

– Sem entender até agora a saída do Nonato.

– O segundo gol do Cuiabá foi fruto de uma pane coletiva de todo o sistema defensivo, que só ficou olhando. Inaceitável levar um gol assim.

– Após cinco meses, Cazares segue em forma de Sr. Boneco da Escolinha do Professor Raimundo. Viva o profissionalismo no Fluminense!

– Siga-me no Twitter através do perfil @ViniFLU18 (clique aqui)

Clique aqui e realize a sua inscrição no nosso canal do YouTube!

Forte abraço e ST

Vinicius Toledo

PUBLICIDADE