Não era ciclone, prefeito! Era o Marlone! E a chuva é de gols, do melhor ataque do Estadual!




Amigos Tricolores,

Um lamentável erro de cálculo do nosso prefeito, Eduardo Paes.

Ele provavelmente ouviu o galo cantar, mas não sabe onde.

Nada de ciclone, prefeito, quem resolveu aparecer no Rio de Janeiro, ao entrar no segundo tempo e mudar o panorama do último jogo, foi o Marlone. Ele entrou e participou bem das jogadas ofensivas, e nem precisou marcar para ajudar muito na vitória.

E não era temporal, nem ventania! Ele na verdade entrou para incendiar o jogo, na vitória do Fluzão!

E a chuva, senhor prefeito, tem ocorrido sim. Mas é a chuva de gols do ataque do Fluzão, que já marcou seis vezes em dois jogos e é o ataque mais positivo do Estadual, garantindo liderança absoluta para o Fluminense pelo saldo de gols.

Isso sem falar no avassalador ataque dos juniores, que deixou oito nas redes do Friburguense (8 x 0), e depois mais dois contra o Nova Iguaçu (2×1), garantindo também a liderança absoluta.

Empresas liberaram funcionários mais cedo, pessoas angustiadas queriam chegar logo em casa, só se falava no tal ciclone. Todo mundo desesperado, um alvoroço danado no Grande Rio, tinha gente até estocando comida em casa! O carioca parece que já gosta mesmo de um alvoroço.

Desvascainize-se um pouco, senhor prefeito, e tenha olhos para o Fluzão! E ouvidos limpos, para entender. Repito: era MARLONE!!! Sem tumulto, prefeito PAES, eu quero é PAZ!

E assim vai o Fluminense, líder absoluto nos profissionais e nos juniores, contra tudo e contra todos, com pacífica chuva de gols do melhor ataque, com melhor saldo e na liderança de artilheiros. E fique tranquila, população: nada de ciclone. O Fred é que vai te pegar!

Porque O IMPORTANTE É O SEGUINTE: SÓ DÁ NENSE!!!

Por PAULONENSE

ciclone
O prefeito entendeu errado. O ciclone na verdade era MARLONE! (Foto: G1)

 

 

 

 

PUBLICIDADE