O pós-jogo que irrita mais que qualquer derrota




Infelizmente, na tarde deste domingo, o Fluminense acabou derrotado pelo Palmeiras. No momento do jogo, fiquei frustrado, no entanto, no pós-jogo, fiquei realmente irritado. E geralmente é isso que acontece quando acompanho uma derrota do Fluminense. As declarações dos jogadores, do treinador ou dos dirigentes, dificilmente caem bem após um resultado ruim. O motivo é bem simples. Todos querem tirar o seu da reta e usam das mais mirabolantes desculpas para justificar a derrota ou simplesmente ignoram os problemas.

Primeiramente, quero comentar sobre a infeliz declaração do técnico Levir Culpi sobre a partida deste domingo. Na visão do treinador, o jogo foi bastante igual e o Fluminense perdeu por detalhes. As falhas nas bolas paradas foram apontadas com o motivo do resultado ruim. No entanto, ele não justifica o motivo para o Fluminense ter jogado tão mal. O Palmeiras dominou o jogo todo. Poderia ter saído da partida com uma goleada sobre o Tricolor. Falhas defensivas, espaços entre os setores, ataque inoperante. Uma lástima. Confira abaixo a declaração do treinador:

“Resultado justo. Palmeiras mereceu a vitória porque dentro do que eles fazem bem, a bola parada, eles fizeram dois gols. Tiveram méritos. Sabíamos mas não foi possível cuidar. As que nós tivemos não conseguimos aproveitar. Faltou melhorar na bola parada. Ousadia não, as chances foram muitas parecidas para os dois. Um aproveitamento de um bola ou outra que decide a partida. Não há muito o que lamentar”.

Bom, outro fato que me irritou foi a nota divulgada pelo Fluminense sobre o mando de campo em Brasília (clique aqui e leia). Segundo a direção do clube, não foi uma escolha jogar fora de Edson Passos, uma vez que a Polícia Militar não pôde liberar este jogo para a Região Metropolitana do Rio de Janeiro em razão de todo o efetivo ter trabalhado sem folga durante a Olimpíada. Ok, de acordo. Mas disso toda a torcida tricolor tem conhecimento. No entanto, por qual motivo escolheram atuar em Brasília? E pior, com torcida mista. Simplesmente jogaram o mando de campo na lata do lixo. Como esperado, o Palmeiras jogou em casa e a torcida tricolor foi engolida. Pergunto: por qual motivo o Fluminense precisou vender o mando de campo? O clube não tem a capacidade de organizar um jogo em Juiz de Fora, por exemplo? Em Cariacica ou Juiz de Fora, o Fluminense teria o apoio da sua torcida e o clube provavelmente conseguiria uma boa grana, já que, pelo bom momento em que se encontrava, atrairia uma grande massa de tricolores. E por qual motivo o clube não pediu o adiamento do jogo? Essa era outra opção. Além disso, tem-se a informação de que o jogo já estava vendido muito antes do GEPE proibir os jogos no Rio de Janeiro. A informação pode ser lida clicando aqui.

Enfim, tentam fazer o torcedor de bobo. Assuma os seu erros! É simples. É normal errar. Faz parte do ser humano. Não irritem ainda mais o torcedor que já está sofrendo com o resultado ruim do clube que ama. É o mínimo! ST

Leandro Alves / Explosão Tricolor

Siga-nos no Twitter e curta nossa página no Facebook

INSCREVA-SE no nosso canal do YouTube e acompanhe os nossos programas!

SEJA PARCEIRO DO EXPLOSÃO TRICOLOR! – Entre em contato através do e-mail: explosao.tricolor@gmail.com

PUBLICIDADE