Sem acordo com o Criciúma, Fluminense recua em negociações com o Tigres e desiste de vender Nino




Nino (Foto: Lucas Merçon / Fluminense F.C.)



Fluminense decidiu recusar a proposta do Tigres, do México, pelo zagueiro

Nino não irá mais se transferir para o Tigres, do México. O Fluminense, que tem 60% dos direitos econômicos do zagueiro, recebeu uma proposta de U$ 5 milhões de dólares, mas o valor foi considerado baixo pela diretoria, que tentou negociar com o Criciúma, dono dos outros 40%, para aumentar a sua fatia. No entanto, não houve acordo com o clube catarinense. Com isso, o Tricolor recusou a oferta da equipe mexicana e espera pelo defensor na reapresentação do elenco, na próxima segunda-feira (10), no CT Carlos José Castilho. As informações são do portal Globo Esporte.

Clique aqui e veja a lista com as últimas notícias do Fluzão!

Pelos seus 60%, o Fluminense teria direito a U$ 3 milhões de dólares (R$ 16,9 milhões). A direção tricolor acredita que o zagueiro vale mais do que o oferecido e considerou o valor que receberia nessa operação baixo, por isso tentou aumentar a sua fatia e receber U$ 4,5 milhões de dólares (R$ 25,5 milhões), com o Criciúma ficando com U$ 500 mil dólares (R$ 2,8 milhões). No entanto, não houve acordo.

Depois das Olimpíadas de Tóquio, Nino já havia recebido uma proposta do Oriente Médio, mas não quis deixar o Fluminense. Desta vez, o jogador considerou ser uma oferta irrecusável, onde iria ganhar quatro vezes mais do que recebe atualmente e chegou a manifestar ao clube das Laranjeiras a sua vontade de se transferir para o Tigres. Diante disso, a diretoria tricolor tentou uma forma de concretizar a negociação por um valor que considera justo, mas sem sucesso.

Nino chegou ao Fluminense por empréstimo do Criciúma em 2019, ainda na gestão Pedro Abad, com opção de compra de 50% fixada em R$ 5 milhões. Já no mandato de Mário Bittencourt, o Tricolor exerceu a opção, que foi paga da seguinte forma: R$ 2 milhões parcelados e o repasse de um crédito de R$ 3 milhões que o Corinthians devia ao clube das Laranjeiras. Na negociação, porém, o Fluminense conseguiu ficar com mais 10% dos direitos econômicos pelo mesmo valor, totalizando os 60% atuais.



Por Explosão Tricolor

E-mail para contato: explosao.tricolor@gmail.com

PUBLICIDADE