Sem entender até agora




FOTO: LUCAS MERÇON / FLUMINENSE F.C.



Confesso que tentei falar sobre a sofrida classificação do Fluminense ainda no início da madrugada, mas não consegui. Veio a parte da manhã, mas novamente não deu. Na verdade, estou meio que sem entender até agora sobre o que ocorreu em Recife.

Para falar sobre a terrível atuação do Fluminense no Arruda, não há como não lembrar do jogo de ida. No pós-jogo, critiquei bastante o fato do time não ter matado logo o confronto. Tudo bem, sei que os erros de arbitragem prejudicaram, mas ainda assim, a rapaziada do Diniz perdeu um caminhão de gols no Maracanã. Quatro ou cinco a zero não teria sido exagero algum.

Com toda sinceridade, não imaginei que o Fluminense passaria por tantos apuros no Arruda. Não se trata de soberba, nada disso. É uma questão de diferença técnica entre as equipes. O time do Santa Cruz é muito ruim, muito mesmo.

A pressão que o Fluminense levou nos primeiros minutos foi algo aterrorizante. Para piorar, o gramado não reunia a mínima condição para o time colocar em prática o seu estilo de jogo. A bola quicava diversas vezes em cada troca de passes. Isso é um fator que prejudicou bastante. Mesmo com um ambiente desfavorável, o Fluminense criou chances claríssimas, mas o ataque deixou a desejar. O Luciano, por exemplo, perdeu uma chance escancarada. Inadmissível!

Após o intervalo, a equipe retornou com uma postura ofensiva mais agressiva. Deu até a impressão de que abriria o marcador com certa facilidade, mas como a bola pune quem não tem competência para decidir, o castigo veio em dose dupla. Ainda bem que o Santa Cruz não forçou tanto na tentativa de buscar o terceiro gol. Na disputa de pênaltis, a diferença técnica entre as equipes acabou falando mais alto.

O Fluminense avançou às oitavas de final da Copa do Brasil, no entanto, não há o que comemorar. A atuação foi ruim no aspecto técnico, o jogo coletivo não funcionou e faltou vibração. E olha que o jogo valia uma premiação de R$ 2,5 milhões. 

A terrível noite no Arruda ligou o sinal de alerta às vésperas da estreia no Campeonato Brasileiro. Fernando Diniz não é milagreiro, mas precisa apresentar alternativas para que a equipe consiga escapar da forte marcação alta dos adversários. E, por falar em alternativas, o elenco necessita de reforços de verdade. Um goleiro, um lateral-esquerdo e um meia para ontem.

Domingo tem mais. E estarei lá no Maraca para apoiar.

Rapidinhas:

Falhou, mas salvou

O Rodolfo falhou no primeiro gol, mas fez duas grandes defesas que evitaram o pior. Nos pênaltis, mandou muito bem.

Airton

Sem a mínima condição física para segurar a correria do Santa Cruz. Se arrastou em campo.

Injustificável

Até quando o Bruno Silva seguirá entre os titulares?

Titularidade

O Allan já está fazendo por merecer a titularidade. Mesmo diante de um cenário desesperador, o garoto foi muita personalidade para sair jogando com qualidade. Pena que o restante do time não  tenha colaborado.

Forte abraço!

Vinicius Toledo



PUBLICIDADE