Sem grandes sustos




Nenê (Foto; Lucas Merçon / Fluminense FC)

Obrigação cumprida. Esse é o sentimento após a justa vitória sobre o Botafogo-PB. Mas antes de falar sobre o jogo, um alerta: parte da torcida do Fluminense estava com medo do adversário mesmo com o jogo sendo disputado no Maracanã. Confesso que me bateu uma enorme tristeza. Assim como bate quando entro no estádio e vejo grande parte da arquibancada vazia. São as sequelas de tantas atrocidades cometidas pelos feudos políticos e dirigentes ao longo dos últimos 35, 40 anos.

Sobre o jogo, o Fluminense teve dificuldade de furar o bloqueio paraibano na primeira etapa. Mas ainda assim, criou algumas chances claras. Dá para afirmar que ter descido para o intervalo com um empate sem gols foi injusto. A equipe tricolor não foi brilhante, mas merecia ter saído com a vantagem mínima.

Na segunda etapa, a rapaziada voltou com mais atitude e, principalmente, cheia de vontade de decidir logo a parada. Gostei da entrada do Fernando Pacheco na vaga do Wellington Silva. O peruano até pecou um pouco na última bola, mas deu muita intensidade ao lado direito, que, diga-se de passagem, teve o Gilberto atuando de forma soberana. Sim, o camisa dois jogou muito, muito mesmo. Seguramente, foi o melhor em campo.

Com paciência e até certa frieza, o Fluminense encontrou o caminho da vitória. Dois gols marcados (Marcos Paulo e Nenê). E ainda teve um do Evanilson anulado incorretamente. Se tivesse tido um pouquinho mais de calma, poderia ter feito 3 ou 4 a 0.

Vitória sem grandes sustos e classificação importantíssima por conta da premiação financeira, pois o clube garantiu R$ 1,5 milhão, No acumulado até aqui, já são R$ 3,9 milhões. E se avançar à Quarta Fase, serão mais R$ 2 milhões. Se tivesse avançado à Segunda Fase da Copa Sul-Americana, teria garantido mais R$ 1,6 milhão, mas…

Com relação ao técnico Odair Hellmann, sigo com um pé atrás, mas sem jamais deixar de cobrar. Faltam dois meses para o início do Campeonato Brasileiro, ou seja, ainda tem tempo suficiente para dar um padrão aceitável e entrosar a formação ideal. Espero que a diretoria cobre isso.

Curtinhas

– O Digão será candidato à presidência do Fluminense na próxima eleição? O capitão segue intocável. Que moral é essa, guerreiro?

– Matheus Ferraz não pode ser banco do Digão, mas não pode mesmo.

– Nenê está com moral, mas teve dificuldade para encaixar o seu jogo diante do bloqueio defensivo paraibano.

– Fernando Pacheco andou pecando na última bola, mas a sua explosão física impressiona. Sigo levando fé nele.

– Live pós-jogo no final da publicação com opinião sobre diversos assuntos do Fluminense.

Agradecimento

Muito obrigado pelo convite, Qualicorp! A dupla Marisa e Roberta é nota 10!

Forte abraço e ST

Vinicius Toledo



PUBLICIDADE