Sinal de vida dado em grande estilo




Marcos Paulo (Foto: Mailson Santana/ FFC)



Ainda não dá para tirar os pés do chão, longe disso. A caminhada é árdua, as batalhas serão duríssimas, mas o Fluminense voltou a dar o seu sinal de vida em grande estilo. Na verdade, já era para ter sido assim no empate com o Vasco da Gama.

Antes da bola rolar no Morumbi, o comentarista Alexandre Lozetti disse que o Fluminense teria que jogar muito para conseguir um empate. Não, não irei condená-lo, nada disso. Lá no fundo, eu também estava com o pé atrás. No entanto, existia um fator que me dava uma ponta de esperança: a forma de jogar da equipe comandada pelo Fernando Diniz.

Pois é, a esperança era justamente a de explorar os já conhecidos espaços deixados pelas equipes montadas pelo Diniz. A dúvida era apenas uma: a performance do sistema defensivo do Fluminense.

A bola rolou no Morumbi, o São Paulo tomou iniciativa, mas o bloqueio defensivo montado pelo Marcão beirou a perfeição. É importante ressaltar que a entrada do Yuri foi fundamental para que o time encontrasse um equilíbrio tático que jamais teve com o Fernando Diniz à frente do comando técnico do próprio Fluminense.

De forma muito inteligente, o Fluminense soube cozinhar o jogo. Lá no fundo, a rapaziada sabia que encontraria valiosos espaços para chegar de frente para o crime. O primeiro gol foi de cabeça, mas o segundo foi justamente da forma que o time já esperava, ou seja, explorando espaços abertos na defesa adversária. Jogada perfeita de Caio Henrique com Yony González para excelente finalização do Marcos Paulo.

Com dois gols de vantagem e uma atuação impecável sob o ponto de vista tático, o Fluminense até teve chance de ampliar na primeira metade da segunda etapa. A verdade é que a excelente atuação fez o jogo ficar fácil. Na reta final, só foi necessário se fechar ainda mais para garantir os três preciosos pontos.

Vitória maiúscula não só pelo fato de ter sido sobre um outro gigante, mas, principalmente, por mostrar que esse time escalado corretamente pode terminar o Brasileirão sem maiores problemas.

Contra tudo e contra todos, o pulso ainda pulsa nas Laranjeiras. E a luta continua.

Rapidinhas

– Atuação monstruosa de todo o sistema defensivo. O São paulo poderia ficar a vida toda martelando, que não arrumaria nada.

– Caio Henrique jogou muito, muito mesmo.

– Como ponta, Yony González ressurgiu das cinzas.

– Um dia a gente chora, no outro a gente explode de felicidade. Assim é a vida, Marcos Paulo. Parabéns pelo decisivo gol!

– Tem que escapar do rebaixamento com vaga na Copa Sul-Americana!

Forte abraço e ST

Vinicius Toledo



PUBLICIDADE