Tá difícil, tá difícil…




Foto: Vinicius Toledo / Explosão Tricolor



Tá difícil, tá difícil…

Com o Vasco atuando de forma covarde, o Fluminense foi senhor absoluto do clássico realizado no Maracanã. Porém, o domínio não foi o suficiente para que o time conquistasse a vitória. Sendo assim, vimos o mais do mesmo. Ou seja, muita posse de bola, algumas boas ações comandadas por Ganso e Daniel, mas…

Pois é, o ataque, sempre ele, vacilou feio mais uma vez, em especial, o Yony González, que brigou com a bola o tempo todo. Além de ter lutado contra a redonda, o colombiano não facilitou em nada a vida dos meias na hora de se movimentar para receber um passe em boas condições.

Ainda assim, o Fluminense conseguiu criar algumas chances, mas a péssima qualidade das finalizações acabou derrubando qualquer chance de vitória. A fase é tão ruim, que o Marcão foi forçado a queimar duas substituições num jogo que estava pedindo urgentemente as entradas do Wellington Nem e João Pedro. O primeiro daria profundidade e, consequentemente, um poder de penetração mais agudo contra o ferrolho vascaíno. Já o segundo seria uma boa aposta para jogar enfiado na área. No entanto, um dos dois até poderia ter entrado, mas o Marcão preferiu sacar o Ganso para colocar o Nenê. Na minha visão, essa foi a única bola fora do treinador no clássico. Ganso era o melhor do time. Acho que o mais correto teria sido sacar o Yony González para a entrada do João Pedro.

O empate sem gols foi mais uma grande decepção. Infelizmente, a situação é pra lá de dramática. Matematicamente falando, as chances ainda existem. Entretanto, os dois próximos jogos, contra o São Paulo, no Morumbi, e Internacional, no Beira-Rio, deixam a missão tricolor com status de quase impossível. Tudo bem, sei que futebol é uma caixinha de surpresas, tudo pode acontecer, mas tá difícil, tá difícil…

Rapidinhas:

– Fora Gilberto!

– Fora Yony González!

– Dois jogos fora contra dois times muito superiores tecnicamente. Como disse o amigo Nando, é montar o ferrolho e tentar arrumar dois pontos.

– Já passou da hora de dar uma chance para o garoto Evanilson.

– Outra coisa que não entendo é a não utilização do garoto Miguel. Nunca mais foi relacionado. Mistérios…

Forte abraço e ST!

Vinicius Toledo



PUBLICIDADE