Treino de luxo com importantes observações




Gabriel Teixeira (FOTO: LUCAS MERÇON / FLUMINENSE F.C.)



Ufa! Acabou a parte mais arrastada da temporada: fase classificatória para as finais do Campeonato Carioca. Só não digo para largar de mão, pois vale caneco, que, diga-se de passagem, o Fluminense não conquista desde 2012. Mesmo com foco na Copa Libertadores, o time tem que buscar esse título carioca para encerrar o longo jejum e até mesmo para elevar o moral do clube, time e torcida.

Contra o Madureira, Roger Machado mandou muito mal na escalação inicial. Primeiramente, juntou Wellington e Hudson no meio de campo. De bônus, formou o trio de ataque sem um velocista. Não à toa, a atuação na primeira etapa foi muito ruim. A rapaziada jogou no modo “Canal 100“. Deu pena do Cazares, que teve a sua missão bastante dificultada por conta da falta de um atacante com maior movimentação.

No lance do gol sofrido, Hudson deve ter pensado no eterno Sr. Miyagi, da lendária série de filmes “Karatê Kid“. Cheio de estilo para dar um enorme salto e cometer uma grotesca falha.

Para piorar o cenário, a tomada de imagens da transmissão escancarou um descompromissado Lucca tentando chutar a bola, mas acertando o adversário. Logo depois, ele deu um cruzamento todo torto. A falta de vontade era tão evidente, que o Roger Machado tratou logo de sacá-lo no início do segundo tempo para a entrada do Gabriel Teixeira. Finalmente, uma luz no fim do túnel! Pois é, o garoto deu outra vida ao ataque tricolor. É bem verdade que o Ganso e até o Caio Paulista também contribuíram.

O Fluminense virou o jogo, mas ofereceu espaço para o Madureira ameaçar, inclusive, o Marcos Felipe fez algumas excelentes defesas. No finalzinho, deu para deixar mais dois na rede adversária e fechar a conta com uma goleada de 4 a 1. A equipe não fez mais do que a obrigação, mas foi bacana ver o Abel Hernández e Bobadilla marcando. Assim como foi show de bola ver o belo gol do Ganso e o golaço do Gabriel Teixeira.

Apesar da fragilidade do adversário, deu para sentir que o elenco para 2021 pode até não ser o dos sonhos, mas ganhou uma boa encorpada. Com a sequência de jogos, os garotos ganharão mais experiência e os reforços entrarão em forma. A tendência é a de que o Fluminense apresente uma boa evolução em termos competitivos.

Que venha o Independiente Santa Fé, pois agora é necessário virar a página para a Libertadores!

Observações importantes:

– Faltou alguém para dialogar com o Samuel Xavier na construção pelo lado direito.

– Bobadilla ainda está travado, mas mostrou inteligência em termos de posicionamento.

– Abel Hernández será boa opção para trombar com força na área adversária.

– Conforme comentei desde o início da temporada, Gabriel Teixeira já é uma espécie de décimo segundo jogador, mas com potencial para buscar vaga entre os titulares.

– Ganso entrou muito bem, mas é sempre bom lembrar que está devendo muito. Precisa aparecer em jogos grandes.

Forte abraço e ST

Vinicius Toledo



PUBLICIDADE