Um balanço sóbrio e honesto




Roger Machado (Foto: Mailson Santana / Fluminense F.C.)



Gostaria de começar falando sobre as mudanças no time. Foram mudanças corretas, pois, ao que parece, foram orientadas pela fisiologia, pelos homens da ciência. A razão, no futebol moderno, é indispensável. Não que o futebol seja uma ciência, mas as ciências são cada vez mais importantes para o esporte em geral. É impossível disputar três competições sem o tal ‘’rodízio’’. O calendário força o revezamento.

Poupar foi correto. O problema foi não ter testado. Eu gostaria de ver o Fluminense com um outro ‘’sistema de jogo’’ e, sobretudo, com a presença de alguns jogadores jovens. Quer um exemplo, leitor? Poderíamos ter jogado no 4-4-2. Sim. E deveríamos ter testado André e Calegari. Notadamente, amigos, o Calegari. Gostaria de vê-lo atuando no meio-campo. Por circunstância do jogo, o menino acabou entrando na lateral direita.

Também acho que poderíamos ter testado o Jefté na lateral esquerda. E alguém poderia perguntar: ele ainda não é muito menino, muito jovem? Exato. E foi justamente em um contexto semelhante ao atual que, no ano passado, o Calegari entrou e… resolveu o problema da lateral. No ano passado, jogando como lateral direito, um jovem resolveu o problema. A base será importante também na atual temporada. 

E o esquema tático? A mesma coisa. Poderíamos ter feito testes. Na verdade, Torcedor Tricolor, deveríamos. O ‘’4-3-3 machadiano’’ precisa de alternativas. O Flu precisa de mais opções, de outras ‘’maneiras’’ e configurações. Já estamos no meio do ano e, excetuando os momentos de lampejo, a verdade é que o Time de Guerreiros pouco apresentou em termos táticos. Ainda somos uma equipe em evolução. Precisamos crescer na temporada.

De resto, na impossibilidade de disputar três competições simultaneamente, penso ser correto ‘’priorizar as Copas’’. O jogo foi importante para ‘’dar rodagem e ritmo’’ para alguns jogadores. Braz, Ganso e mesmo o Bobadilla – que entrou no segundo tempo – precisam de mais ‘’quilometragem’’. Estamos na metade da temporada e ainda temos jogadores ‘’fora de forma’’ e sem ritmo de jogo. Considerando o contexto, o empate foi um bom resultado.

–  2021 será o ano das Copas. O Amado Tricolor será campeão em alguma delas. No Brasileiro basta uma campanha sem sustos, um ‘’meio de tabela’’ tranquilo – algo entre o oitavo e o décimo primeiro lugar. 

Teixeira Mendes



Agenda tricolor

4ª rodada

17/06 – Quinta-feira – 19h – Fluminense x Santos – Maracanã

5ª rodada

20/06 – Domingo – 18h15 – Fortaleza x Fluminense – Arena Castelão

6ª rodada

23/06 – Quarta-feira – 19h – Atlético-GO x Fluminense – Antônio Accioly

7ª rodada

27/06 – Domingo – 16h – Fluminense x Corinthians – Maracanã

8ª rodada

30/06 – Quarta-feira – 20h30 – Fluminense x Athletico-PR – Maracanã

9ª rodada

04/07 – Domingo – 16h – Flamengo x Fluminense – Maracanã

Clique aqui e veja a lista com as últimas notícias do Fluzão!

PUBLICIDADE