Vitória merecida




Nino (Foto: Lucas Merçon / Fluminense FC)

Em embate entre postulantes à uma vaga na Libertadores, o Fluminense saiu com uma vitória  justa e relativamente tranquila. Um, dois, três. Fizemos três gols para cima do Santos, que é outro time de campanha difícil de ser explicada neste Brasileirão. Lá atrás, levamos um só para não perdermos o costume de terminar o jogo com aquela sensação familiar de “ufa! Acabou”. Com essa vitória no Maracanã, o Tricolor não pode ser ultrapassado por ninguém e  termina a 18ª rodada na quarta colocação.

Tentamos marcar o mais cedo possível, apertando os alvinegros e seus três zagueiros. Dos pontos positivos da equipe do Odair Hellmann, a postura inicial é um dos melhores. Acredito, inclusive, que esse início teria sido ainda melhor se nosso armador não atendesse pelo nome de Hudson. Sim, o camisa 25 não só dá o primeiro combate como também é o homem mais avançado atrás de Fred quando temos a bola, caindo um pouco pela direita. Sinceramente, citei esse nome aqui e nem quero voltar a pensar nele por mais que tenha feito 45 minutos honestos.

Aos 29’, o nosso gol teve participações de Danilo Barcelos e Fred mais uma vez. O artilheiro foi o zagueiro Luccas Claro, que voltou ao time titular nessa partida.  Os méritos, assim como no gol salvador contra o Ceará, devem ser repartidos com Frederico, que deu uma casquinha e jogou a bola na fogueira. 

Chegamos a ter a incrível marca de oito finalizações contra nenhuma do adversário. O Santos é fraco? Sim, porém é sempre bom ver o Fluminense fazendo por merecer.

Mas nem por isso a vida do tricolor é fácil. Com Danilo Barcelos esperando para retornar ao campo após atendimento médico, a lei do ex, que deveria se chamar lei do ex-Flu, deu as caras. Com Claro tendo que fazer as vezes de lateral, Madson cruzou a bola para a pequena área e Marinho fez aos 38’. Ainda antes do fim da primeira etapa, Nenê sentiu e saiu para a entrada de Marcos Paulo

Assim como no primeiro tempo, voltamos melhor e o gol parecia questão de tempo. E não demorou para Nino desviar para o fundo das redes, aos 10’. Enquanto eu anotava no bloquinho que o Santos não ameaçava, o susto veio. Cruzamento para a área, chute de Arthur Gomes e Muriel fazendo de letra. Menos mal que Nino havia sofrido falta no lance. Com Ganso entrando, passamos a segurar mais o jogo e continuamos sem sofrer grandes ameaças

Em contra-ataque de Marcos Paulo e Fred, o capitão teve a chance de matar o jogo e voltar a balançar as redes. Porém bateu mal demais, e o logo veio à cabeça de todo torcedor aquele pensamento de “ihh, já tô vendo…”. E quase vimos mesmo, com Muriel perdendo no alto para o jogador deles e Soteldo encobrindo o arqueiro. Sorte nossa que o juiz aprovou a atuação de Nino, que valorizou demais mais uma falta salvadora. 

Sem sofrer grande pressão, o Tricolor ainda ampliou com Marcos Paulo completando um passe açucarado de Ganso nos acréscimos. Será esse gol um divisor de águas para o garoto? Tomara que sim, porque estamos a uma rodada do segundo turno. E é nele que as coisas se decidem. No mais, vitória merecida!

Curtinhas:

– Esse foi o quinto gol de Luccas Claro na temporada. Já está melhor do que muito atacante por aí, inclusive no nosso elenco.

– Rapaz, na próxima partida não teremos Dodi e Fred… Hora de mostrar a força do elenco com Yuri (acho razoável que entre, mas não no lugar de Dodi) e Felippe Cardoso.

– Estamos no G-4? Estamos no G-4. Obrigado por ter um nível tão baixo, Brasileirão.

– Odair é o nosso melhor técnico nos últimos anos? Polêmica!

Saudações Tricolores, galera!

Carlos Vinícius Magalhães

PUBLICIDADE