O foco é a LDU!




Torcida comparecerá em peso (Foto: Vinicius Toledo/Explosão Tricolor)
Torcida comparecerá em peso (Foto: Vinicius Toledo/Explosão Tricolor)

Gosto de chapéu velho na boca! Assim foi o jogo contra o Vitória no domingo passado. Se não bastasse a burrada do estreante Robinho, a defesa falhou duas vezes e permitiu que o time baiano empatasse o jogo após o Henrique Dourado fazer o gol da virada aos 45 do segundo tempo. Incrível!

Mas o assunto do momento é o jogo de quinta contra a LDU. E, por causa dele, vou esquecer a raiva do último confronto pelo brasileirão e focar os esforços no jogo da Sul-Americana. Afinal, é nesta competição que o Fluminense tem as maiores chances de salvar o ano. 

Resolvi fazer uma pesquisa sobre o nosso adversário, sua história e as notícias atuais, considerando que as últimas informações que temos dos equatorianos foram as das disputas com o Tricolor carioca nas finais da Taça Libertadores de 2008 e da Copa Sul-Americana de 2009. Nas duas oportunidades, La Liga foi a vitoriosa do confronto e saiu do Maracanã com a taça nas mãos. Nas duas partidas foram mais de 80 mil tricolores tentando empurrar o time.

Atualmente, a LDU é apenas a nona colocada do campeonato nacional, considerando os dois turnos. Em 31 jogos, eles conquistaram 31 pontos, com seis vitórias, treze empates e doze derrotas. O líder do campeonato é o Delfín Sporting Club, com 65 pontos no acumulado, ou seja, 34 a mais que a LDU. Apenas por curiosidade, o Independiente Del Valle, ex-clube de Orejuela e Sornoza, está na terceira colocação com 52 pontos.

A LDU não vence o torneio local desde 2010, sendo que em 2015 chegou a fazer uma boa campanha, sagrando-se vice-campeão equatoriano. Eles possuem dez títulos nacionais ao todo, sendo que o maior vencedor é o Barcelona de Guayaquil com quinze taças. A Liga Deportiva Universitaria, além dos títulos internacionais cujas finais disputou com o Fluminense, possui ainda duas Recopas Sul-Americana nos seus anos de glória: ganhou do Inter em 2009 e do Estudiantes da Argentina em 2010. Orgulha-se de ser o único clube equatoriano campeão da Taça Libertadores.

O clube possui uma boa estrutura, com estádio próprio (Casa Blanca), importante Centro de Treinamento (Country Club de Liga) e um bom local de concentração antes dos jogos, chamado Casa de Liga. Além disso, conta com moradias para seus atletas das categorias de base.

Assim como o Flu, a LDU também aposta na prata de casa

Assim como o Fluminense, a LDU também aposta na prata da casa: são 27 jogadores equatorianos no elenco, com média de idade de aproximadamente 24 anos. A principal atração da equipe é o argentino Hernán Barcos, velho conhecido da torcida brasileira e ex-jogador de Grêmio e Palmeiras. Outro atleta que passou pelo futebol canarinho foi Sherman Cárdenas, que defendeu o Atlético-MG.

Porém, não há dúvidas de que o desempenho da equipe este ano torna a LDU um time menos perigoso que aquele que enfrentou o Fluminense nas finais de 2008 e 2009. Não possui mais o brilho de jogadores como Guerrón e Luis Bolaños, além de não fazer do estádio Casa Blanca e da altitude de Quito uma arma mortal de outrora. Ela teve muita dificuldade, dentro de casa, para ganhar do Bolívar na fase anterior da competição, conseguindo a classificação somente na disputa de pênaltis.

Mas o Fluminense também está longe daqueles times de 2008 e 2009. Sem o dinheiro da Unimed e com uma diretoria bem capenga, a equipe parece jogar apenas com o nome e se arrasta em campo. Mas a força da torcida, que já esgotou os ingressos do setor sul do Maraca, pode ser decisiva para o sucesso do time nesta fase.   

Nenhum tricolor, em sã consciência, vai menosprezar a LDU. Talvez os torcedores e os próprios jogadores fizeram isso em 2008 e, até hoje, amargamos aquela derrota. Mas, no atual momento, temos muitas chances de vencer os riscos que La Liga representa e avançar de fase. Depende da disposição do time em campo.

Ser Fluminense acima de tudo!

Toco y me voy:

  1. Inaceitável, sob todos os aspectos, os dois gols que o time levou no domingo. Em ambos parecia que não tinha ninguém na área. Repito: incrível como isso acontece com um time profissional.
  2. Henrique Dourado dá aula de cobrança de pênalti. Fantástico!
  3. O Atlético-MG pegou o Fred com todas as suas façanhas: sete partidas sem marcar e errando pênalti. Que bom que se foi!
  4. Robinho tá de brincadeira! Nada mais!

Evandro Ventura

Loja---02

Siga-nos no Twitter e curta nossa página no Facebook

INSCREVA-SE no nosso canal do YouTube e acompanhe os nossos programas!

SEJA PARCEIRO DO EXPLOSÃO TRICOLOR! – Entre em contato através do e-mail: explosao.tricolor@gmail.com

PUBLICIDADE