A hora da verdade




Foto: Mailson Santana/ FFC

Buenas, tricolada! Aproveitando a “folga” de quase uma semana do Brasileirão, arriscarei tracejar algumas linhas a respeito do restante da temporada!

Pois é, faltam seis jornadas para conhecermos os destinos dos clubes da Série A! Certeza, certeza, apenas que o título é dos Molambos, e Chape e Avaí já caíram. A não ser que os deuses do futebol repitam 2009 e dignifiquem o improvável – praticamente impossível!

O Flu tem chances de permanecer na elite do futebol tupiniquim desde que cumpra o seu dever. A princípio, está aberta a temporada da caça ao galo! Os três pontos na próxima partida são obrigatórios, mesmo que vençamos por meio a zero – e mesmo sem o Muriel! Putz, tocarei no tema ali adiante!

Depois do duelo do sábado vindouro, à noite, no Maraca, diante do Atlético-MG, enfrentaremos o CSA lá no Nordeste. Oras, se o Vasco sapecou três mangabas nos malandros, na trigésima-segunda rodada, por que duvidar que seja possível conquistarmos um bom resultado nos domínios inimigos? De qualquer forma, um pontinho representaria uma ajuda ímpar.

Fluminense e Palmeiras, no Maior do Mundo, será um confronto encardido. Não que o Porco paulistano seja uma exímia equipe, o Mano Menezes represente a nata dos treinadores nacionais e que os caras estejam voando. Contudo, eles têm melhor elenco, mais peças de reposição – portanto, talvez já não briguem pelo caneco – mas queiram garantir o vice-campeonato, e hoje têm apenas um ponto a menos do que o dobro da nossa pontuação: 67 contra 34! Empate não seria de todo ruim – e a vitória, um bônus sobre o ônus!

Na trigésima-sexta rodada, o FFC sairá do Rio para encarar o Avaí. Os catarinenses, nessa altura, decerto já terão ratificado a sua queda para a Série B, então, a sorte talvez seja mais sorridente ao Time de Guerreiros. Peleja fácil? Jamais! A hombridade e o respeito à sua torcida farão com que os “avaianos” desdobrem-se dentro das quatro linhas. Entretanto, pontuar é viável. Um ou três pontos já nos manterão vivos e sonhando com um 2020 mais tranquilo na Primeirona.

Na penúltima contenda do Campeonato mais encrencado do planeta, receberemos o Fortaleza em casa. As cores e a tradição do Flu têm que prevalecer! Não podemos sequer imaginar um placar adverso! Nem o empate nos servirá! Ponto!

Para encerrar os trabalhos, o Fluminense visitará a Arena Corinthians para “pelear” com os Gambás! Jogo duríssimo – como os demais! No entanto, de acordo com a “pitonisa” Ricardo Timon, o Fluminense Football Club já terá conquistado de nove a treze (ou quinze) pontos – até então. Ou seja, 43 ou 47/49, no total. Matemática suficiente, quaisquer das duas, para nos livrar do inferno. Até mesmo a derrota lá na Terra da Garoa não seria trágica. Óbvio que encerrar uma campanha tomando sacode não convém, mas nos anos anteriores esse fato tem se repetido sistematicamente, né não?

Paralelamente, o Flu também terá chances absolutas de machucar impiedosamente o sofrido torcedor tricolor, caindo para a Segunda Divisão! Basta o script por mim desenhado conter uma trajetória um pouquinho diferente. Uma ou duas derrotas inesperadas, como aquelas diante de Goiás, Avaí e CSA, e os empates ante Ceará e Chape, todos no Maracanã, ruirão o projeto.

Se o Marcão não inventar moda, acho que a oportunidade de permanecermos no primeiro escalão é cristalina. E igualmente, se a Diretoria não se posicionar com rigor frente à CBF. De início, combatendo os males que as arbitragens vêm nos causando partida após partida. Em sequência, “lutando” pela permanência do Caio Henrique nas últimas seis pelejas. Torneio amistoso na Europa é o cacete! Apoiem-se na postura molamba. Eles mantiveram o Renier na Gávea, bancando a sua ausência na Seleção sub-17, e consequentemente a sua desconvocação. E o moleque disputaria uma competição oficial, hein?!

Sobre o Muriel, PQP! Vendem (ou perdem) Ibañez, Luciano, Everaldo, Jotapê, Pedro… Contundem-se gravemente o Gilberto, o Maldini Ferraz, o próprio Pedro – antes de ser negociado, e agora o nosso maior destaque nas últimas batalhas, o São “Muroel”, quebra a porra da mão esquerda! Capuchinhos no elenco, meu povo! E muita reza forte!

Uma opinião categórica – e pessoal – eu não omito: o gordinho Agenor nem fo#@%$*%do! Marcos Felipe ou o menino Marcelo nos seis próximos combates!

De repente, boa parte dos torcedores pense que a minha visão é de extremo otimismo neste momento, se considerarmos as nossas cruzadas e lidas a temporada inteira. Muito embora eles estejam carregados de números e razão, reiterando os meus conceitos propalados à miúde neste 2019 aqui mesmo no Explosão Tricolor, o time do Flu não é pior do que a maioria dos coirmãos que labutam desde abril no Brasileirão deste ano. Mas infelizmente os resultados depõem contra a gente!

Mais do que isso, os “concorrentes diretos” do Z-4 estão dando uma mãozinha considerável para que escapemos ilesos da degola. Ainda que o Fluminense refugue e recuse tais ajudas sempre que se vê beneficiado, cedo ou tarde os inimigos entregarão irremediavelmente os pontos e azedarão em definitivo as suas maioneses. Eles são menos qualificados, de fato. É a nossa sina torcer contra os camaradas… Tem dado mais certo do que torcermos pro nosso clube de coração!

Apesar dos desmandos, incompetências, amadorismo e vaidades, agrupados em mandatos seguidos na sede histórica de Álvaro Chaves, ainda sou mais Fluzão! Sempre!

Saudações eternamente tricolores!

Ricardo Timon

PUBLICIDADE