Advogado do Flu despista sobre eleição, mas já age como presidente




O jornalista Rodrigo Paradella, publicou no site da UOL, uma matéria interessante sobre o atual cenário político do Fluminense. Confira abaixo, a matéria na íntegra:

“Ainda restam quase dois anos de mandato para o presidente Peter Siemsen, mas é outro dirigente que tem tomado a cena como principal representante do Fluminense nos últimos meses. Considerado sucessor natural por integrantes da atual gestão, o advogado e vice de futebol Mário Bittencourt ainda despista sobre a candidatura para a eleição de 2016, mas tem roubado a cena no Tricolor, principalmente neste começo de ano.

A presença de Mário Bittencourt se tornou ainda mais destacada com o afastamento de Peter Siemsen desde o fim do ano passado. O atual presidente pouco tem participado do cotidiano do clube, e só se manifestou nos últimos dias através de sua conta no Twitter. Entre os motivos para o ‘sumiço’ está uma estadia na Disney com a família em janeiro, após a pré-temporada do Tricolor em Orlando.

Mas Bittencourt tem tomado as rédeas mesmo com a presença de Peter Siemsen. A renovação de Fred com o Fluminense foi negociada na Florida durante a estadia do presidente, mas foi o vice de futebol que conduziu as conversas com o empresário do jogador e selou o acordo por quatro anos ao voltar ao Brasil. Enquanto isso, o mandatário pouco interferiu.

No anúncio da permanência de Fred, foi Mário Bittencourt quem comandou o evento com pompa nas Laranjeiras e colheu os louros daquela que foi a notícia mais animadora para a torcida do Fluminense após o rompimento com a patrocinadora Unimed Rio, no fim do ano passado. Existia o temor de que o camisa 9 deixasse o clube por causa do fim da parceria.

O protagonismo foi assumido também no principal episódio político do futebol carioca em 2015 até aqui, a disputa nos bastidores entre Flamengo, Fluminense e Vasco. Mário Bittencourt foi o responsável por falar pelo Tricolor na ocasião, inclusive batendo forte nas intenções do presidente cruzmaltino Eurico Miranda.

Outra oportunidade em que Mário teve destaque foi no lançamento do livro sobre o casal 20 Washington e Assis, quando foi o dirigente que representou o Fluminense, mesmo não tendo qualquer ligação direta com o projeto, tocado pelo setor de preservação da história do clube, o Flu Memória.

O advogado e vice de futebol também chegou a captar um patrocínio para o Fluminense, a Frescatto, que hoje estampa a omoplata da camisa tricolor. Sem qualquer participação do departamento de marketing, Mário fechou acordo com a empresa de pescado no começo do ano.

Enquanto Mário foi figura constante nos noticiários, o presidente Peter Siemsen ‘sumiu’. O mandatário apareceu em apenas duas passagens importantes do Fluminense nos últimos meses: o anúncio do patrocínio da Viton 44 após a saída da Unimed Rio, em dezembro, e a renovação de contrato do meia Robert, já no fim de fevereiro.

Apesar da situação, o vice de futebol nega por enquanto que seja pré-candidato à presidência do Fluminense. Funcionário do Tricolor há mais de 15 anos, Mário Bittencourt viu seu já então grande prestígio nas Laranjeiras decolar após a disputa nos tribunais que assegurou a permanência do clube na primeira divisão no fim de 2013. Desde então, é considerado sucessor natural de Peter Siemsen no cargo de mandatário.”

Por Explosão Tricolor / Fonte: UOL

PUBLICIDADE