Até quando?




Egídio e Nenê (FOTO: LUCAS MERÇON / FLUMINENSE F.C.)



Vazio de torcida. E vazio de futebol. Assim ficará lembrada a noite do dia 12 de agosto de 2020 no Maracanã. O duelo entre Fluminense e Palmeiras foi de uma enorme pobreza técnica e tática. Muitas faltas, forte marcação, passes errados, poucas finalizações, etc… Criatividade? Zero.

E o Fluminense nessa história? Pois é, a equipe do Odair Hellmann segue totalmente engessada.

Nas laterais, não há futebol e nem força física. A falta de confiança nos laterais é tão escancarada, que os meias até afunilam o jogo na maioria de suas ações. No segundo tempo, por exemplo, Nenê preferiu enfiar no meio do miolo da zaga paulista do que abrir no Igor Julião, que entrou na área livre pelo lado direito.

Por falar no Nenê, desta vez ele não ficou tão preso na ponta. Procurou atuar mais pelo meio, mas não arrumou nada. É outro que está devendo. Assim como o Yago Felippe, que é até esforçado na marcação, mas peca bastante no acabamento das jogadas. Como erra passes!

O gol sofrido foi uma bobeada geral. Primeiro do Fred, que foi facilmente desarmado. E depois foi a vez do Luccas Claro, que não conseguiu acompanhar o Luiz Adriano.

Sem o Fred, que saiu sentindo a coxa, Evanilson voltou a comandar o ataque. E aí, não demorou tanto para o garoto balançar a rede em grande estilo. No lance do gol, ele soube usar o corpo, dominou bonito, girou e bateu muito bem na bola, que ainda desviou no zagueiro antes de estufar a rede do Jailson. Belo gol.

Tirando os gols, um cruzamento do Egídio após boa enfiada do Ganso e o gol desperdiçado pelo Luiz Adriano nos minutos finais, a partida não apresentou mais nada de interessante.

Odair Hellmann até realizou algumas substituições, mas tudo seguiu na mesma. Empate sem graça e jejum de oito jogos oficiais sem uma vitória sequer. Infelizmente, o Fluminense segue sem mostrar qualquer tipo de evolução. Escolhas erradas, jogadores atuando fora de suas posições, ausência de jogadas ensaiadas, recomposição lenta, sucessivos erros de passes, etc… Até quando?

Curtinhas

– Reforços urgentes para as duas laterais e setor de criação do meio de campo.

– Com o Odair não dá.

– André na vaga do Yago e o Dodi assumindo como segundo volante. Completaria esse meio com o Michel Araújo e Marcos Paulo. E o Miguel também seria testado.

– No ataque é Evanilson acompanhado de um jogador com poder de infiltração, ou seja, Wellington Silva ou Fernando Pacheco. No meu entendimento é o que dá para fazer.

Pós-jogo no YouTube



PUBLICIDADE