Cidadania Tricolor: vigiar e servir




Torcida do Fluminense (Foto: Vinicius Toledo / Explosão Tricolor)



Salve, aristocrática torcida tricolor, primeiramente um feliz ano novo, que 2022 seja de conquistas e saúde para todos nós. A vida do torcedor apaixonado é repleta de altos e baixos, não há manual, cartilha ou receita de bolo de “como ser um torcedor”. Entretanto, na minha visão, o torcedor consciente deve ser presente, vigilante e atuante, sempre deixando claro que cada um faz aquilo que estiver ao seu alcance, dentro das suas possiblidades e condições.

Nós que produzimos conteúdo sendo mídia independente de um clube de futebol, somos constantemente cobrados e contestados. E é NORMAL que seja assim. No meu caso, me considero um porta-voz da torcida, um representante da massa em um importante canal. Entretanto, acabam nos jogando na vala comum da politização de nossas falas – nada contra a política do clube, ela é a base do modelo administrativo atual – contudo, a premissa básica das minhas análises é a busca incessante pelo fortalecimento do Fluminense. Ponto. Eu NUNCA, JAMAIS, me envolvi em nenhuma corrente política, não tenho interesse, formação ou competência pra isso. 

Dito isso, o torcedor deve exercer a sua “Cidadania Tricolor”, sempre atento ao que acontece dentro e fora de campo, cobrando resultados esportivos e administrativos, independente de quem esteja no poder. Criticando, pontuando, avaliando, reprovando ou aprovando os responsáveis pelos rumos do nosso Clube. Simples assim. Em um país com pouca tradição de engajamento político de fato, é fundamental ressaltar a importância de todo esse processo para o sucesso esportivo. Fazer isso, não é “escolher um lado”, “apenas criticar”, “torcer contra” ou até “passar pano”. Isso é ser um cidadão tricolor pleno, consciente e atuante.

Encerro o texto pedindo o entendimento das nossas análises como o que de fato elas são: pontuações isentas e independentes de um torcedor comum, sempre na busca do melhor para instituição Fluminense Football Club. Simples assim. Uma torcida bem informada é a meta desse que vos escreve.

– O óbvio ululante…

– Felipe Mello, Willan Bigode e Cano. “Sabendo usar, não vai faltar”. Por aí….

– Abel, se souber usar seu prestígio para equilibrar jovens fundamentais e os experientes no vestiário, tem tudo para mais uma vez, fazer história.

– Minha aposta para 2022 é Gabriel Teixeira.

– Espero que o Nathan seja o meia de ligação que suplicamos por todo 2021…

Vitor Costa (@vitorcosta1111 no twiiter)



PUBLICIDADE