Complicou para o Fluminense





Empresa já pagou sua cota em parcela única

Segundo informações dos jornalistas Caio Blois e Hector Werlang, ambos do portal Globo Esporte, o Fluminense tem um obstáculo a superar caso decida pela rescisão com a Descomplica. A plataforma de ensino online, que revoltou torcedores e conselheiros por comentários no Twitter favoráveis ao Flamengo no clássico de Brasília, pagou em parcela única os R$ 350 mil acordados pelo patrocínio de três meses.

Logo após a partida, o presidente do Fluminense, Pedro Abad, pressionado a romper o vínculo com a empresa, determinou que o departamento jurídico avaliasse o texto do contrato. Por ora, nenhuma decisão foi tomada. Além do término da relação, alguns integrantes da direção desejam indenização ao clube por desvalorização da marca.

LEIA TAMBÉMNa web: Veja as críticas dos torcedores do Fluminense ao Descomplica

Foi em maio que o Fluminense anunciou o acordo com a Descomplica, também parceira do Flamengo. Por estar em situação financeira delicada e com dificuldade de gerar novas receitas, a ação foi comemorada. O espaço nas costas do uniforme, antes ocupado pela Thinkseg, que pagava R$ 50 mil por mês (acordo de um ano, totalizando R$ 600 mil) foi valorizado. Até porque a antiga parceira atrasava pagamentos.

A relação ia bem. Havia até a expectativa de ampliar o tempo do acordo, algo previsto em contrato. Porém, o Fla-Flu abalou a relação. Clube e empresa mantém diálogo aberto até que uma decisão seja tomada.


VEJA AINDA:

Jornalista revela quanto o Fluminense recebeu pelo clássico com o Flamengo em Brasília

Pacote completo (Vinicius Toledo)

Por Explosão  Tricolor / Fonte: Globo Esporte

Siga-nos no Twitter e curta nossa página no Facebook

INSCREVA-SE no nosso canal do YouTube e acompanhe os nossos programas!

Entre em contato através do e-mail: explosao.tricolor@gmail.com

PUBLICIDADE