Drama dos grandes




Foto; Vinicius Toledo / Explosão Tricolor



Quando a gente pensa que não há como piorar o que já está muito ruim, o Fluminense vai lá e consegue fazer com que a situação fique ainda pior. Perder para o CSA foi o fim da picada, mas para o Avaí foi o fim dos tempos.

Mais uma vez, o Fluminense desperdiçou chances claríssimas de gols. Não é exagero afirmar que o time poderia ter matado o jogo já na primeira etapa. O jogo estava fácil, o Avaí praticamente não incomodava. O problema é que quando a maré não está nada boa, não dá pra dar sopa pro azar. E foi justamente o que o Fluminense fez. A incompetência na hora de estufar a rede adversária foi castigada com mais um fiasco diante de quase 17 mil heróis e heroínas da resistência.

Para piorar, o Sr. Oswaldo de Oliveira sacou o João Pedro, que estava muito bem na partida. Sobre o Ganso, acho que há alguns exageros nas críticas. Ele vem atuando como segundo volante, portanto, não há muito o que fazer ou alguém realmente acredita que ele tenha condições de avançar e recompor com grande intensidade? Na minha visão, se for para escalá-lo como volante, então é melhor barrá-lo.

Como torcedor, jamais deixarei de fazer minha parte. No entanto, não há como tapar o sol com a peneira. Ou seja, a situação é pra lá de dramática. A visível apatia do time é algo que deixa o torcedor ainda mais sem fé. Falam tanto que a torcida não pode abandonar, mas a impressão é a de que os jogadores abandonaram o Fluminense. 

Além da apatia do time, a diretoria também dá sinais de que jogou a toalha. Contra o CSA, por exemplo, o presidente ficou calado mesmo diante de dois escandalosos pênaltis não marcados em pleno Maracanã. Cadê a defesa institucional prometida durante a campanha? Silêncio bastante questionável e esquisito.

Não cravarei rebaixamento, pois o meu lado torcedor sempre fala mais alto nessas horas. Porém, é impossível não admitir que o processo de pavimentação da estrada rumo à Série B está bem acelerado.

Drama dos grandes…

Vinicius Toledo



PUBLICIDADE