Eliminação honrosa, pênaltis perdidos, arbitragem, empenho dos jogadores, dificuldades internas e muito mais; confira a coletiva de Fernando Diniz




Foto: Fluminense / Divulgação



Fernando Diniz concedeu entrevista coletiva após o confronto diante do Cruzeiro

Após a eliminação para o Cruzeiro na Copa do Brasil, na noite desta quarta-feira (05), o técnico do Fluminense, Fernando Diniz, conversou com a imprensa no Mineirão. Confira abaixo a íntegra da entrevista coletiva do treinador:

Eliminação honrosa

Fernando Diniz: Sentimento duplo. O maior é de orgulho pelo que estamos conseguindo fazer com as condições que o Fluminense nos oferece hoje. E de frustração com a queda. O time pelo que vem jogando não merecia sair desclassificado, embora Cruzeiro também tenha feito um bom jogo, tenha uma grande equipe, um grande treinador e a torcida comparecendo. Mas pelo jeito que foi o último gol, pelos riscos que tomamos, merecíamos passar. Mas a vida, em muitas situações é injusta. Cabe a gente agora levantar a cabeça e preservar. Porque o trabalho está sendo bem executado. É uma equipe que está mostrando muita força, coragem, resiliência para seguir na temporada.

Pênaltis perdidos

Fernando Diniz: Tem esse histórico. O Pedro, que é um batedor contumaz, converteu todos que bateu. Se estivesse jogando, seria nosso batedor oficial. Os jogadores treinam. Alguns, de maneira especial, por serem jogadores que batem nas partidas. Treinamos para as disputas contra Santa Cruz, contra Atlético, treinamos segunda e ontem… As bolas bateram na trave, o Fábio é um grande pegador de pênalti. Não tem muito segredo. Está sendo treinado. Tem alguns jogadores que têm mais facilidade para converter os pênaltis. O Pedro é um deles. Temos que continuar treinando e achar os caras que batem melhor. Não tem muito segredo.

Empenho dos jogadores

Fernando Diniz: Os jogadores estão de parabéns. Com as dificuldades que a gente está passando eles conseguirem produzir o que produzem, poucos conseguiram fazer o que eles fazem. Eu bato palma para os jogadores que temos no elenco. Os mais velhos, os garotos de Xerém… Eles merecem todos os elogios.

Arbitragem

Não quero falar muito de arbitragem. Não sei como pode ser a relação hoje com os árbitros agora com o advento dos cartões. Fiquei fora do jogo contra o Athletico depois que fui questionar o árbitro educadamente na Bahia… Vou falar com relação ao VAR. O VAR, por ora, está deixando o futebol mais empobrecido no Brasil. O VAR tinha que ser chamado por uma coisa contundente, para não parar o jogo. A gente perde muito tempo, tem margem para interpretação… A maioria dos lances é dividido. Se fica na dúvida, deixa o que o árbitro marcou. Teria que ser em coisas do tipo: foi impedimento, bola entrou e juiz não viu… Para ficar na base da interpretação, melhor deixar o árbitro ter liberdade para apitar e o jogo seguir. Vamos perdendo a emoção na hora do gol, o cara faz o gol e não comemora porque espera o VAR, o pênalti vem depois de um tempo… Depois ficamos sabendo que não foi pênalti, que o lance foi duvidoso…

Estreia do jovem Miguel

Fernando Diniz: É um jogador muito talentoso. Chegou recentemente e nem jogou no Sub-20. Ele começou a treinar e foi se destacando. Existe uma certa regra e lógica no futebol de só lançar os jogadores mais maturados, quando tiver 18, 19 anos… E temos que estar abertos a exceções. O João Pedro é uma exceção. O Marcos Paulo também. E o Miguel também. Ele está conseguindo produzir no treino. E eu coloco os melhores. Não me importo com a idade. Tem 16 anos, mas está se destacando. Não foi casualidade, não foi sorte. Todo treino ele consegue produzir alguma coisa que chama a atenção. Ele fez a jogada do gol. Driblou um, dois e tocou para o Daniel, que levantou para o João Pedro marcar de bicicleta.

Dificuldades internas

Fernando Diniz: Temos dificuldades políticas e financeiras que o clube passa, elas são gigantes. É uma mudança constante de jogadores. Perdemos o Everaldo, que vinha se destacando. O Ibañez começou a temporada e era outro jogador importante para a equipe, mas perdemos para quitar algum tipo de dívida. Tivemos Digão com fratura, Léo Santos com problema no joelho, Matheus Ferraz machucou joelho. A maioria das lesões sérias. Jogadores chegando para deixar o time mais forte, alguns não podem disputar Sul-Americana e Copa do Brasil… Os problemas são muitos. Isso faz com que tenhamos que sentir orgulho do que o time está fazendo.

Clique aqui e veja a lista com as últimas notícias do Fluzão!



Próximos jogos do Fluminense

Campeonato Brasileiro

09/06 – 19h – Fluminense x Flamengo – Maracanã – Rio de Janeiro/RJ

Campeonato Brasileiro

13/06 – 20h – Chapecoense x Fluminense – Arena Condá – Chapecó/SC



Por Explosão Tricolor

E-mail para contato: explosao.tricolor@gmail.com

PUBLICIDADE