Esse é o “Novo Fluminense”




Foto: Lucas Merçon / Fluminense FC



Esse é o “Novo Fluminense”

O ponto conquistado no Morumbi foi importante, entretanto, pelo que foi o jogo, é para o Fluminense lamentar bastante.

Com um a mais em campo, a equipe não conseguiu explorar o contra-ataque para matar o jogo.

Tudo bem, sei que temos sérias limitações, mas o Marcelo Oliveira pisou na bola.

A escalação inicial deu para o gasto, mas quando precisou mudar para aproveitar a vantagem numérica, o treinador mandou mal.

Júnior Dutra para puxar contra-ataque? Piada com a cara do torcedor tricolor!

Não satisfeito, o professor ainda inventou um Luciano visivelmente sem ritmo e, principalmente, fora de sintonia com o time.

Gostaria de entender essa politicagem contra a galera raiz de Xerém.

Marcos Junior, Pablo Dyego e Daniel seguem sem chances. Os dois últimos sequer foram relacionados.

Entra ano e sai ano, o Fluminense segue com os seus mistérios nos bastidores…

Voltando a falar sobre o jogo, depois que o Marcelo Oliveira engessou a equipe com as entradas do Júnior Dutra e Luciano, o São Paulo cresceu e acabou empatando.

Quem também merece um puxão de orelha é o Ayrton Lucas. Duas falhas decisivas nos dois últimos jogos e três pontos no ralo. É um dos poucos que joga uma bola redonda, mas não pode dar esses moles.

Em termos de resultado, dá para considerarmos que foi bom. Queiram ou não, encaramos o líder. Mas pela história do jogo, é impossível não ficarmos indignados. Com mais capricho e sem os perebas entubados pelos empresários, poderíamos ter saído do Morumbi com os três pontos.

Agora é concentrar todas as forças para o jogo contra o Vitória. Uma vitória será fundamental para nos aproximarmos mais do nosso grande “título” de 2018: a permanência na Série A. Esse é o “Novo Fluminense” comandado pelos engomadinhos mimados da medíocre Flusócio.

Saudações Tricolores!

Vinicius Toledo



PUBLICIDADE